Apenas um dos juízes que condenaram LULA no TRF4 recebeu 1 voto para ser ministro do STJ

Gebran foi o único a ter 1 indicação. Paulsen e Laus tiveram 0 cada, enquanto outro do mesmo Tribunal, que não se envolveu com Moro, recebeu 21 votos

Dos desembargadores do TRF-4 (Tribunal Regional da 4ª Região) que endossaram a sentença de Sergio Moro, condenando LULA à prisão em 2018, pelo caso do tríplex do Guarujá (SP), apenas João Pedro Gebran Neto recebeu um voto e Leandro Paulsen e Victor Laus não tiveram nenhum, como indicação para ministro do STJ (Superior Tribunal de Justiça).

Na ocasião em que os desembargadores mantiveram a condenação do hoje ex-juiz parcial a LULA, os três ainda aumentaram a pena do ex-presidente e determinaram que ele cumprisse a prisão em regime fechado.

Assim, a formação da lista quádrupla, que será enviada ao presidente Jair Bolsonaro (PL) para a escolha de dois novos ministros que vão substituir Napoleão Nunes Maia Filho e Nefi Cordeiro, foi gerada, na sessão desta quarta-feira (11/5) com os nomes dos desembargadores Messod Azulay Neto (19 votos), do TRF-2; Ney Bello (17), do TRF-1; Paulo Sérgio Domingues (19), do TRF-3; e Fernando Quadros (21), do TRF-4.

Bolsonaro terá que optar por nomes que fazem parte da lista elaborada pelo próprio tribunal embora não seja obrigado a decidir pelos mais votados.

Comente

Comente

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.