Ainda há brasileiros ‘presos’ no México por conta do covid-19, sem dinheiro e abrigo, por descaso de Bolsonaro

07/04/2020 3 Por Adriana Farias
Compartilhe

Adriana Farias
Rodrigo Florêncio

CIDADE DO MÉXICO – As “férias inesquecíveis” no México se tornaram o pesadelo de dezenas de turistas. Cerca de cem brasileiros ainda estão isolados naquele país sem poder voltar ao Brasil, após terem seus voos cancelados ainda na primeira semana de março por conta do fechamento das fronteiras como medida contra o surto mundial de coronavírus. Em desespero, eles relatam que não têm mais dinheiro e, para complicar, os hotéis não assumem mais seus hóspedes por prevenção. Não há mais como se manterem até a volta da normalidade, que tem previsão somente para o final do mês de Maio.

Os últimos voos com destino ao Brasil foram realizados pela Latam em 31 de março e pela Aeroméxico em 01 de abril. De acordo com o relato de alguns passageiros desta última companhia aérea, cerca de 20 turistas, quase todos brasileiros, não conseguiram embarcar.

O Consulado-Geral do Brasil, no México, através das suas redes sociais, publica regularmente notícias sobre a situação de voos, sugestões de hotéis e cuidados que os cidadãos devem ter em relação ao covid-19. Em seu último informativo no Facebook em 03 de abril, o órgão reiterou que as companhias aéreas já não estavam operando saídas para o nosso país e apresentou como únicas opções os voos com conexão nos Estados Unidos, o que exigia o visto americano para os nossos cidadãos sem que houvesse dispensa do mesmo.

Ainda, segundo o Consulado, a previsão de retorno dos voos, que ocorrerá progressivamente, se dará a partir do mês de maio. Devido a essa situação, muitos brasileiros se organizaram em grupos de WhatsApp para tentar uma solução junto à Embaixada e Consulado do Brasil no México.

O Itamaraty pediu R$ 12 milhões ao Ministério da Economia para fretar aviões que possam fazer o resgate dos brasileiros, mas isso ainda não ocorreu.

Alguns brasileiros relataram que muitos já estão com os recursos financeiros esgotados e alguns já sem hospedagem. Como forma de apoio aos turistas afetados, muitos brasileiros residentes no México estão oferecendo, através das redes sociais, hospedagem, alimentação e ajuda financeira.

O correspondente no México, Rodrigo Florêncio, conseguiu alguns relatos de brasileiros, que não quiseram se identificar, que contaram como estão se sentindo diante do descaso tanto das companhias aéreas quanto do consulado e do governo. Veja abaixo:

Brasileiro 1 – “O que aconteceu comigo foi absurdo pq remarcaram meu voo [a cia aérea] já sabendo que o cancelariam. Marquei dia 30, não sabia que dia 1 seria o último, tava tudo normal no site pra reservar voo, aí marquei dia 3. Cancelaram… Eles tinham que avisar que [eu] tinha de ser encaixada dia 30 , 31 ou 1. Mas não avisaram. ”

O grande interesse dos brasileiros para visitar o México fez com que muitas empresas aéreas abrissem novas rotas de voos sem escala. A companhia aérea Gol disponibiliza voo direto para Cancún. A Aeroméxico disponibiliza voos diários com até duas saídas por dia. Há, também, as opções de voos com escalas em outros países, como os oferecidos pela Latam, Copa Airlines e Avianca.

O México e seus encantos chamam a atenção de muitos turistas do mundo inteiro que querem se banhar nas águas cristalinas de Cancún, Riviera Maya e Playa del Carmen; visitar a Casa Azul onde viveu Frida Khalo e ver suas obras; recarregar as energias nas pirâmides de Teotihuacán; comer o verdadeiro taco ao pastor e também caminhar pela famosa avenida Reforma, ao lado do Anjo da Independência. Esses atrativos também chamam a atenção dos brasileiros e muitos descobrem que o México é muito mais que o seriado Chaves, as novelas da Thalia e a tequila com limão.

Rodrigo Florêncio é brasileiro, jornalista, Doutor em Meio Ambiente e Desenvolvimento, Professor Universitario na área de Ciências Sociais e reside no México.

Telegram: Acesse e SIGA NOSSO CANAL

Comente com o Face ou utilize a outra seção abaixo. Os comentários são de responsabilidade do autor e não têm vínculo com a publicação. Mantenha um bom nível de discussão, do contrário reservamo-nos o direito de banir seus perfis.
Compartilhe