Advogada contrária à ‘decisão’ do ‘STE’ (sic) sobre eleição de LULA tem pedido de expulsão na OAB (vídeo)

Marcello Feller diz que Sarah Virginia violou ao menos 4 estatutos da entidade e teve conduta incompatível com a profissão

O advogado Marcelo Feller protocolou uma representação na OAB-PR (Ordem dos Advogados do Brasil seccional Paraná) pedindo a expulsão e a suspensão preventiva da advogada Sarah Virginia de Moraes por ter participado das manifestações golpistas em sua cidade, Ponta Grossa – PR), após a derrota de Jair Bolsonaro (PL) nas urnas para LULA (PT).

Em vídeo que circula nas redes sociais, a advogada diz que é contra o resultado das eleições e até cita o número de sua carteira da Ordem: “Estamos nos expressando contra a decisão do STE (sic), que falou que o nosso presidente de 2023 será o Luiz Inácio Lula da Silva. Nós não concordamos com essa votação. Nós não concordamos“, disse a advogada no vídeo.

Feller escreveu na mensagem de seu perfil no Twitter, ao compartilhar as imagens: “Por favor, se vocês virem esse vídeo sendo divulgado em outros perfis, coloquem o link aqui no comentário. Estou nesse momento acionando a OAB-PR pedindo a expulsão da advogada, com suspensão preventiva. E para haver a suspensão eu preciso comprovar haver “repercussão prejudicial à dignidade da advocacia” nos termos do Art. 70, p. 3, da Lei 8.906/94″.

Não estou pedindo que vocês compartilhem, só quero saber se outras páginas, além dos compartilhamentos feitos nesse post que Twittei, também repercutiram o vídeo. Aliás, pra me ajudar, alguém consegue transcrever na íntegra o que ela fala e me mandar por DM, por favorzinho?“, pede Feller.

Sarah disse, no vídeo, que pediria um “habeas corpus preventivo” após a decisão do ministro do STF (Supremo Tribunal Federal) Alexandre de Moraes de que as polícias militares podem atuar na desobstrução de rodovias bloqueadas pelos atos.

Não queremos que o Bolsonaro passe a faixa. Com isso, nós estamos aqui protestando. Então, se alguém for preso, a partir de agora estou pedindo um habeas corpus, habeas corpus preventivo com base na Constituição Federal“, afirma.

Após ter a solicitação atendida por vários perfis na plataforma, Feller disse que tá tinha “elementos mais do que suficientes pra protocolar o pedido” e pediu interrupção do encaminhamento de “links por DM” ou da marcação de seu perfil “em publicações“. E encerrou dizendo que havia protocolado o pedido de expulsão de Sara.

Na minha visão, a OAB tem que sair na frente e punir esse tipo de comportamento. A insatisfação com o resultado é legítima, mas o Estado democrático de Direito tem que ser preservado“, disse o advogado.

Na representação, Marcelo Feller argumenta que a profissional violou ao menos quatro estatutos da OAB e que manteve conduta incompatível com a advocacia.

Depois disse que seu tuíte “furou a bolha” e que passou a receber “ameaças“, que segundo ele foram “bestas, não preocupantes, mas ameaças“. Por este motivo, silenciou o tuíte.

Comente

Comente

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.