“Possibilidade de sermos localizados e presos pelas forças anticultura de Bolsonaro multiplica-se”, diz Verissimo

29/12/2019 1 Por Redação Urbs Magna
Compartilhe

‘A invasão’ é o título da mais recente publicação de Luis Fernando Verissimo no Jornal ‘O Estado de São Paulo’, deste domingo (29). O escritor compara as ações do Governo Bolsonaro aos tempos da ditadura, narrando os tempos atuais como se, ficticiamente (mas nem tanto), estivéssemos sob forte opressão ideológica daquele regime. Em tom de quase uma tragicomédia, o autor aborda seu tema-título de forma a dar entendimento ao leitor de que foram todos (seus eleitores) enganados, quando o elegeram seu ‘mito’, e agora os militares determinam os rumos do país.

Fotomontagem Equipe Et Urbs Magna

Deveríamos ter desconfiado que era uma invasão na cerimônia de posse do seu ministério anunciado pelo Bolsonaro“, diz o autor.

“Lembra? Grande parte dos ministros usava longos guarda-pós brancos. Aquilo era estranho, estariam lançando uma nova moda ministerial, com o guarda-pó simbolizando sua disposição de trabalhar pelo País sem personalismo ou vaidade? Mas não. Assim que foram identificados como ministros do novo governo, os de guarda-pós arrancaram seus disfarces – que tapavam fardas militares!, publicou Veríssimo.

Leia no Estadão:

Telegram: Acesse e SIGA NOSSO CANAL

Comente com o Face ou utilize a outra seção abaixo. Os comentários são de responsabilidade do autor e não têm vínculo com a publicação. Mantenha um bom nível de discussão, do contrário reservamo-nos o direito de banir seus perfis.
Compartilhe