Vídeo: Grupo ‘300 do Brasil’ realiza manifestação macabra em frente ao STF: “Não vai nos calar”

31/05/2020 0 Por Redação Urbs Magna

Et Urbs Magna – “A marcha da insensatez e da morbidez está em curso“, escreveu Vera Magalhães, jornalista que comanda o Roda Viva, em retuíte de um vídeo no seu perfil social do microblog Twitter em cuja postagem o grupo ‘300 do Brasil’ realiza uma manifestação macabra, segurando tochas e usando máscaras, na frente do STF (Supremo Tribunal Federal) gritando que a Corte não iria calá-los.

Junte-se a 37.014 outros assinantes

O ato ocorreu no final da noite deste sábado (30) e teve, à frente do grupo, a bolsonarista Sara Winter, que na última semana chocou o Brasil com suas afirmações contra o Ministro do Supremo, Alexandre de Moraes, em um vídeo que viralizou nas redes pela gravidade de seu teor.

Sara disse que trocaria socos com o magistrado e o xingou de arrombado por conta da ação de busca e apreensão, realizada pela PF, em endereços ligados a empresários pró-bolsonaro, além de outros como o blogueiro Allan dos Santos e a própria ativista. A Polícia Federal cumpriu determinação de Moraes em inquérito que apura diseminação de fake news.

O Grupo ‘300 do Brasil encontra-se em um acampamento nos arredores do Palácio do Planalto. No vídeo da manifestação dos ativistas é possível ver Sara Winter atrás de uma faixa com a inscrição ‘300’ comandando as palavras repetidas aos gritos por outros integrantes dizendo que o “STF não vai nos calar”.

Assista em dois vídeos:

Esta imagem possuí um atributo alt vazio; O nome do arquivo é ET-URBS-MAGNA-LARANJA-um2-1024x1024.png
TELEGRAM:
Acesse e siga NOSSO CANAL
Receba nossas Newslleters gratuitamente
Não tem o aplicativo? ACESSE AQUI e Saiba por que o TELEGRAM é 10 vezes melhor que o WHATSAPP

𝘊𝘰𝘮𝘦𝘯𝘵𝘦 𝘤𝘰𝘮 𝘴𝘦𝘶 𝘍𝘢𝘤𝘦𝘣𝘰𝘰𝘬 𝘰𝘶 𝘶𝘵𝘪𝘭𝘪𝘻𝘦 𝘢 𝘰𝘶𝘵𝘳𝘢 𝘴𝘦çã𝘰 𝘮𝘢𝘯𝘵𝘪𝘥𝘢 𝘢𝘣𝘢𝘪𝘹𝘰. 𝘖𝘴 𝘤𝘰𝘮𝘦𝘯𝘵á𝘳𝘪𝘰𝘴 𝘴ã𝘰 𝘥𝘦 𝘳𝘦𝘴𝘱𝘰𝘯𝘴𝘢𝘣𝘪𝘭𝘪𝘥𝘢𝘥𝘦 𝘥𝘦 𝘲𝘶𝘦𝘮 𝘰𝘴 𝘱𝘶𝘣𝘭𝘪𝘤𝘢 𝘦 𝘱𝘰𝘥𝘦𝘮 𝘯ã𝘰 𝘳𝘦𝘧𝘭𝘦𝘵𝘪𝘳 𝘢 𝘰𝘱𝘪𝘯𝘪ã𝘰 𝘥𝘰 𝘴𝘪𝘵𝘦. 𝘛𝘦𝘹𝘵𝘰𝘴 𝘷𝘶𝘭𝘨𝘢𝘳𝘦𝘴 𝘦 𝘥𝘪𝘴𝘤𝘶𝘳𝘴𝘰𝘴 𝘥𝘦 ó𝘥𝘪𝘰 𝘴ã𝘰 𝘥𝘦𝘴𝘯𝘦𝘤𝘦𝘴𝘴á𝘳𝘪𝘰𝘴 𝘱𝘢𝘳𝘢 𝘢 𝘤𝘰𝘯𝘴𝘵𝘳𝘶çã𝘰 𝘥𝘦 𝘶𝘮𝘢 𝘴𝘰𝘤𝘪𝘦𝘥𝘢𝘥𝘦 𝘤𝘪𝘷𝘪𝘭𝘪𝘻𝘢𝘥𝘢. 𝘕𝘦𝘴𝘵𝘦𝘴 𝘤𝘢𝘴𝘰𝘴, 𝘳𝘦𝘴𝘦𝘳𝘷𝘢𝘮𝘰-𝘯𝘰𝘴 𝘰 𝘥𝘪𝘳𝘦𝘪𝘵𝘰 𝘥𝘦 𝘣𝘢𝘯𝘪𝘳 𝘴𝘦𝘶𝘴 𝘱𝘦𝘳𝘧𝘪𝘴.