Vereadoras do PSOL e PT pedem condenação de Milton Ribeiro por improbidade administrativa

20/09/2021 0 Por Redação Urbs Magna
Vereadoras do PSOL e PT pedem condenação de Milton Ribeiro por improbidade administrativa

As vereadoras Maria Marighella (PT-Salvador) [à esquerda na imagem] e Erika Hilton (PSOL-São Paulo) / O ministro da Educação do governo Bolsonaro, Milton Ribeiro | Sobreposição de imagens


PROGRESSISTAS POR UM BRASIL SOBERANO

Maria Marighella e Erika Hilton acusam o ministro da Educação do governo Bolsonaro de “irresponsável” na administração dos bens públicos ao afirmar que jogou “na lata do lixo” R$ 300 milhões com a edição do ENEM

As vereadoras Maria Marighella (PT-Salvador) [à esquerda na imagem] e Erika Hilton (PSOL-São Paulo), enviaram representação ao MPF (Ministério Público Federal) solicitando abertura de uma investigação contra o ministro da Educação, Milton Ribeiro.

As parlamentares pedem que o chefe da pasta seja condenado por improbidade administrativa ao se referirem às recentes falas em que afirmou ter jogado “na lata do lixo” R$ 300 milhões com a edição do ENEM deste ano, cuja abstenção foi recorde, chegando a 71,3% no segundo dia de prova digital.

Ribeiro também declarou que suspendeu a gratuidade da inscrição da prova para “dar disciplina” aos estudantes faltosos.

Na ocasião, o Inep (Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais) informou que ao todo 26.709 alunos realizaram a avaliação e 66.370 inscritos não compareceram.

Sobre a maldade da suspensão da isenção como castigo, o STF (Supremo Tribunal Federal) decidiu, por unanimidade, no último dia 3, obrigar o governo a reabrir o prazo de solicitação para a gratuidade da taxa de inscrição do Enem de 2021 e proibir que ela seja negada a quem se ausentou na prova de 2020 sem justificativa.

As duas vereadoras argumentam, de acordo com Mônica Bergamo, na Folha de S. Paulo, que “há uma nítida confissão de irresponsabilidade” do ministro “para com os bens públicos, deixando ainda fortes indícios de que a organização do exame de 2021 seguirá os mesmos parâmetros de desperdício orçamentário”.

O MPF já havia sido provocado por Hilton na ação que solicitou o monitoramento da realização do Enem pelo Ministério da Educação e pelo Inep. Na ocasião, a vereadora paulistana reuniu a assinatura de 28 parlamentares de diferentes estados em sua representação.

Comente