Vera Magalhães apanha de Glenn, Zanin e TV Cultura em hora de necessária união, e não de seus ensaios políticos toscos

05/04/2020 3 Por Redação Urbs Magna

Tudo começa quando Lula elogia o trabalho de governadores do Brasil diante da inaptidão de Bolsonaro em lidar com o combate ao coronavírus. Em uma coletiva, o ex-presidente deu honras e mérito ao governador do Estado de São Paulo, João Doria, e depois escreveu em seu Twitter: “Nossa obsessão agora tem que ser vencer o coronavírus. Chegamos ao ponto do Dória ter que mandar a PM invadir fábrica pra pegar máscara. A gente tem que reconhecer que quem tá fazendo o trabalho mais sério nessa crise são os governadores e os prefeitos.

Ao ler a mensagem de Lula no Twitter, João Doria deu ‘print’ na imagem e postou em retuíte. Pela prova publicada, o governador demostrou carinho por ser citado por um monstro sagrado da política brasileira provando que dissidências e dissabores fazem parte apenas do teatro para impressionar o eleitor: “Temos muitas diferenças. Mas agora não é hora de expor discordâncias. O vírus não escolhe ideologia nem partidos. O momento é de foco, serenidade e trabalho para ajudar a salvar o Brasil e os brasileiros“.

Vera Magalhães, ao saber do afeto dos desafetos, correu no BR Político e mandou um texto dizendo que o retuite de Doria foi seu “maior erro político”. Afirmou que “Lula é carta fora do baralho na política“, que suas “lives diárias” contra Bolsonaro eram “sem sucesso” e tentou convencer que “ao trazer Lula para o debate, Doria sacrifica parte do capital político que vinha acumulando e desvia o foco da gestão técnica que vem tentando imprimir ao combate à covid-19”. Além disso, atacou Lula dizendo que é um condenado e que é “réu em dezenas de outras ações penais” (note a ênfase dada à esta frase e à palavra por seu notável exagero e obsessão*).

Imediatamente, o antenado jornalista Glenn Greenwald interceptou a mensagem de Vera Magalhães: “Quem não consegue superar sua mesquinha *obsessão por Lula – como se fosse 2015 – não tem credibilidade pra criticar a mesquinhez de Bolsonaro”.

E Vera respondeu: “Glenn, meu caro, cuide de sua credibilidade que eu cuido da minha. Obsessão por Lula quem tem é você”.

Greenwald então afirmou o seguinte: “Você condenou Doria de modo mesquinho por encontrar um terreno comum com Lula – o que qualquer pessoa responsável está fazendo. Apenas pequenos partidários cheios de ódio denunciam isso agora”.

Os internautas levaram a hashtag #LulanoRodaViva aos Trending Topics do Twitter, tornando-se um dos assuntos mais comentados da rede social e dos sites de notícias, disse o DCM.

Vera Magalhães comentou a repercussão do assunto no próprio Twitter: “Ele foi convidado no ano passado, antes da minha gestão. Quis aprovar a bancada. Diante do não, se recolheu. Não vai usar o programa para retomar uma polarização nefasta ao país e que é tudo que o bolsonarismo quer”. E comentou de novo: “Lula não é player da crise de covid-19. É um condenado em prisão domiciliar. Por isso e por ter mais de 60 tem de ficar em isolamento. Emular esse espantalho político é tudo que Bolsonaro quer para cortina de fumaça dos seus erros”.

O advogado do ex-presidente, Cristiano Zanin Martins, se manifestou sobre a declaração da militante antiLula e jornalista do Estadão e do programa Roda Viva na própria rede social: “Lula não está em prisão domiciliar.Ele teve a liberdade plena restabelecida após 580 dias de prisão contrária à CF/88. Recusou a progressão porque foi condenado em um processo reconhecido como nulo por renomados juristas do mundo. Lula está em isolamento social, como o momento exige”.

O Diário do Centro do Mundo procurou a assessoria de imprensa da Fundação Padre Anchieta nesta sexta (3), mantenedora da TV Cultura e de seu programa de entrevistas Roda Viva.

Enviamos quatro perguntas. São essas:

1 – A âncora Vera Magalhães afirmou que “se afoitos e ingênuos querem ser o sapo da travessia do escorpião, o Roda Viva não será essa jangada” referindo-se ao ex-presidente Lula. Ele já foi entrevistado e convidado pelo programa anteriormente. A âncora pode vetar publicamente um entrevistado de relevância no programa com esses argumentos?

2 – Vera Magalhães tem autonomia para definir os rumos do Roda Viva ou seu posicionamento tem que estar alinhado com a direção da TV Cultura?

3 – Vera afirmou que Lula é “condenado em prisão domiciliar”. O advogado do ex-presidente, Cristiano Zanin Martins, explicou que seu cliente “não está em prisão domiciliar. Ele teve a liberdade plena restabelecida após 580 dias de prisão contrária à CF/88. Recusou a progressão pq foi condenado em um processo reconhecido como nulo por renomados juristas do mundo”. Esse erro serve para vetar alguém no programa?

4 – De acordo com Vera Magalhães, Lula não será chamado para o Roda Viva porque ele vai “retomar uma polarização nefasta ao país”. O Roda Viva convidou Bolsonaro, Sergio Moro e outras figuras que têm envolvimento com o atual governo. Eles não são parte dessa polarização? Ou é só o ex-presidente Lula?

A coordenadoria de comunicação da TV Cultura enviou um email para o DCM afirmando o seguinte:

“A TV Cultura não vai se pronunciar sobre polêmicas em perfis pessoais de redes sociais, que não refletem as posições da emissora”.

Comente com o Face ou utilize a outra seção abaixo. Os comentários são de responsabilidade do autor e não têm vínculo com a publicação. Mantenha um bom nível de discussão, do contrário reservamo-nos o direito de banir seus perfis.