“Vamos tirar Maduro de lá”, diz Pompeo ao lado de Araújo e a web pega fogo

18/09/2020 1 Por Redação Urbs Magna
Compartilhe

Possibilidade de guerra entre Brasil e Venezuela é levantada no Twitter, onde internautas realizam ‘análises geopolíticas’

O chanceler brasileiro, Ernesto Araújo, e o secretário de Estado dos Estados Unidos, Mike Pompeo, durante entrevista coletiva no Palácio do Itamaraty

“Vamos tirar Maduro de lá”, disse hoje, sexta-feira (18), o secretário de Estado dos EUA, Mike Pompeo, durante coletiva ao lado do ministro das Relações Exteriores, Ernesto Araújo. No Twitter, o assunto é uma eventual guerra entre o Brasil e a Venezuela.

A missão dos Estados Unidos é “assegurar que a Venezuela tenha uma democracia. Não devemos esquecer que ele está destruindo seu próprio país e também é um traficante de drogas. Está impactando na vida dos EUA. Mas vamos tirá-lo de lá“, disse Mike Pompeo.

A afirmação foi feita em encontro que deveria discutir apenas a imigração venezuelana no país, mas Pompeo ainda seguirá para Bogotá de encontro ao presidente Ivan Duque, em visita a todos os países fronteiriços com a Venezuela. Na quinta (17), Pompeo visitou Georgetown, capital da Guiana, onde se encontrou com o presidente Irfaan Ali e com o secretário-geral da Comunidade do Caribe, Irwin LaRocque; e Paramaribo, capital do Suriname, onde se encontrou com o presidente Chan Santokhi.

Em 26 de março, o Departamento de Justiça dos EUA apresentou acusações criminais contra Maduro e outras autoridades venezuelanas. Em abril, o presidente Donald Trump anunciou o envio de navios da Marinha em direção à Venezuela para reforçar operações de combate ao narcotráfico no Caribe.

O presidente da Câmara dos Deputados, Rodrigo Maia, criticou a visita de Mike Pompeo a Roraima a 46 dias para a eleição presidencial dos EUA. Afirmou que o comportamento não “condiz com a boa prática diplomática internacional e afronta as tradições de autonomia“.

Como Presidente da Câmara dos Deputados, vejo-me na obrigação de reiterar o disposto no Artigo 4º da Constituição Federal, em que são listados os princípios pelos quais o Brasil deve orientar suas relações internacionais“, disse.

Referindo-se às ameaças feita por Pompeo a Maduro, Maia afirmou que é preciso ressaltar os princípios da independência nacional, autodeterminação dos povos, não-intervenção e defesa da paz.

Patrono da diplomacia brasileira, o Barão do Rio Branco deixou-nos um legado de estabilidade em nossas fronteiras e de convívio pacífico e respeitoso com nossos vizinhos na América do Sul“, afirmou na carta.

No Twitter estão todos observando os passos do secretário americano e o assunto é sobre guerra:

Comente com o Face ou utilize a outra seção abaixo. Os comentários são de responsabilidade do autor e não têm vínculo com a publicação. Mantenha um bom nível de discussão, do contrário reservamo-nos o direito de banir seus perfis.
Compartilhe