“Tudo o que Trump fez terá se acabado quando o sol nascer na segunda”, diz ex-assessor

23/01/2021 0 Por Redação Urbs Magna

Biden já deu cerca de 30 ordens executivas, em meio a revogações de decretos de Trump, nas primeiras 48 horas do novo governo | O democrata trabalha para apagar o legado de seu antecessor ainda sem conseguir dar início à era bidenista

O presidente dos EUA, Joe Biden, ao lado de sua vice, Kamala Harris, despacha ordens executivas na Casa Branca na sexta-feira (22) | Foto: Anna Moneymaker / New York Times

Decretos do ex-presidente Donald Trump, com temas como políticas de imigração, desregulamentação, assuntos de veteranos e impostos, vão sendo desfeitos pelo atual líder da Casa Branca, Joe Biden, que já despachou aproximadamente 30 ordens executivas no intervalo de 48 horas.

Desse total, 14 referem-se a seu antecessor e o restante visa a implementação de medidas emergenciais destinadas a lidar com a pandemia e a crise econômica.

“No ritmo que Biden está, tudo o que Trump fez terá se acabado quando o sol nascer na segunda-feira”, afirmou um ex-assessor do ex-presidente, de acordo com informações no New York Times. 

Horas depois de sua posse, na quarta-feira (20), o presidente americano deu 17 ordens executivas, emitiu memorandos e proclamações agindo rapidamente para desfazer as políticas da administração anterior que assessores dizem ter causado o “maior dano” à nação americana.

As primeiras ações de Biden visam derrubar a resposta do ex-presidente à pandemia de coronavírus bem como reverter sua agenda ambiental, derrubar suas políticas anti-imigração, reforçar a recuperação econômica e restaurar esforços federais para promover a diversidade.

A lista das ações de Joe Biden inclui, também:

  • restauração do compromisso com o financiamento da OMS (Organização Mundial da Saúde); 
  • volta dos EUA aos acordos climáticos de Paris; 
  • reversão da proibição de Trump quanto à imigração de várias nações predominantemente muçulmanas;
  • interrupção da fiscalização da imigração no interior do país; 
  • suspensão da construção do muro da fronteira com o México; 
  • proteção a trabalhadores LGBTQ prejudicados por aliados de seu antecessor; 
  • interrupção as obras do Keystone XL (oleoduto levaria petróleo do Canadá até o Texas, cruzando todo o território de norte a sul);  
  • reimposição da proibição de perfuração no refúgio de vida selvagem do Ártico
  • imposição de novas regras de ética descartando o relatório da “Comissão de 1776”.
Comente com o Face ou utilize a outra seção abaixo. Os comentários são de responsabilidade do autor e não têm vínculo com a publicação. Mantenha um bom nível de discussão, do contrário reservamo-nos o direito de banir seus perfis.