TJ-SP promove magistrada e a aposenta no dia seguinte com teto salarial 60% maior

04/07/2020 1 Por Redação Urbs Magna
𝐔𝐌 đđ«đšđŹđąđ„ –  o Tribunal de Justiça de SĂŁo Paulo promoveu uma magistrada a desembargadora e a aposentou no dia seguinte com teto salarial 60 por cento maior em relação ao pagamento salarial mensal anterior.
ÓrgĂŁo Especial do TJSP / CrĂ©dito: Divulgação TJSP

A juĂ­za Ligia Donati Cajon, que era titular na comarca de Catanduva, foi promovida por antiguidade, no Ășltimo dia 17, pelo presidente do TJ-SP, desembargador Geraldo Pinheiro Franco, que no DiĂĄrio Oficial do dia seguinte concedeu aposentadoria requerida pela agora desembargadora “fazendo jus aos proventos mensais, com paridade, correspondentes ao subsĂ­dio desembargador“, conforme informou a Folha de SĂŁo Paulo.

Nos Ășltimos meses, a juĂ­za recebeu um salĂĄrio de R$ 33.689,10 em valores brutos. JĂĄ o salĂĄrio de um desembargador, apĂłs inclusĂŁo de equiparaçÔes salariais corrigidas pela inflação, segundo levantamento do jornal, Ă© de cerca de R$56 mil em valores brutos. Cajon receberĂĄ o mesmo salĂĄrio.

Mas nĂŁo hĂĄ irregularidade na decisĂŁo do tribunal de promover e, logo depois, aposentar uma integrante da corte, segundo esclareceu o Tribunal: “A promoção foi por conta de direito e a aposentadoria por conta de direito“.

Cajon se aposentou no mesmo dia da cerimĂŽnia de posse de outros cinco desembargadores que foram promovidos juntamente com ela.

Junte-se a 37.179 outros assinantes

Telegram: Acesse e SIGA NOSSO CANAL

Comente com o Face ou utilize a outra seção abaixo. Os comentĂĄrios sĂŁo de responsabilidade do autor e nĂŁo tĂȘm vĂ­nculo com a publicação. Mantenha um bom nĂ­vel de discussĂŁo, do contrĂĄrio reservamo-nos o direito de banir seus perfis.