Anúncios

‘Moro enlouqueceu’, dizem petistas

Lula apresentou a Sérgio Moro os recibos originais de aluguéis do apartamento no ABC que foram legitimados por perícia, mas o Juiz não os aceitou … dizendo que são falsos ? É isso mesmo, produção?

Os senadores petistas Lindbergh Farias (PT-RJ) e Gleisi Hoffmann (PT-PR) acreditam que o juiz Sérgio Moro entrou em parafuso por causa dos recibos originais apresentados pelo ex-presidente Lula.

Gleisi e Lindbergh afirmaram que a perícia identificou que as assinaturas sofreram variações ao longo do tempo na emissão de recibos de aluguéis do apartamento do ex-presidente no ABC, o que quer dizer que não foram produzidos em um mesmo momento.

“Foram cinco máquinas, diferentes cartuchos. Moro segue com seu ultimato para receber os ‘originais’, insistindo que todos foram assinados no mesmo dia. (mesmo tendo sido periciados e legitimados) Irredutível, e se diz imparcial”, disse a presidenta do PT.

“Moro é um juiz FORA DA LEI.” disse Lindbergh. “Foram 5 máquinas, diferentes cartuchos. É o que diz a perícia. mas Moro dá ultimato para receber os originais, insiste que todos foram assinados no mesmo dia e ainda se diz imparcial.

A bancada do PT no Congresso Nacional estuda pedir perícia de sanidade mental do juiz Moro. A conferir.

Anúncios

Moro e seus Procuradores ‘justiceiros’ são repreendidos pelo Ministro da Justiça

2

“Um juiz não pode decidir com uma carta na manga. Um procurador não pode acusar com uma prova na manga. Ou há a prova provada, com a ampla defesa e a ampla acusação, ou não se atende ao pressuposto necessário do estado democrático de direito”

Torquato Lorena Jardim, jurista brasileiro, atual Ministro da Justiça e Segurança Pública do Brasil, também considerado um dos maiores especialistas em direito eleitoral do país, fez críticas pesadas ao uso de instrumentos como delação premiada, prisão preventiva e condução coercitiva 

O ministro da Justiça, Torquato Jardim, fez duras críticas ao modus operandi da operação Lava Jato – que apresenta delação premiada, prisão preventiva e condução coercitiva como rotina – durante audiência na comissão de revisão do Código de Processo Penal, na Câmara dos Deputados, na última quarta-feira (4): “A condução só deve ocorrer quando houver resistência ou descumprimento de intimação. Nunca pode ser uma primeira opção“.

Torquato foi mais duro com a delação premiada que, para ele, deveria ser apenas uma “mera possibilidade” em uma investigação: “Quero deixar de forma inequívoca que a delação é a possibilidade, não mais que a possibilidade, de que o fato narrado e pessoa citada por um criminoso confesso é mera oportunidade para uma investigação. Não pode ser mais do que mera oportunidade para uma investigação“, afirmou aos deputados.

Para ele, o vazamento do conteúdo de uma delação tem de ser punido como ocorre com sigilos fiscal e tributário de um qualquer cidadão: “É fundamental o sigilo. Por isso, e consequentemente, tem que ser considerado crime qualquer forma de divulgação, seja por quem for. Sigilo de delação não é menos importante que o sigilos fiscal, ou o sigilo tributário, ou mesmo o sigilo da fonte para os jornalistas”.

O ministro da justiça defendeu que uma delação deve ocorrer dentro de um prazo máximo delimitado e que não se deve deixar o investigado preso por muito tempo para que ele se sinta pressionado a fazer uma delação: “Tem que ter prazo máximo para que o réu ou o investigado inicie a delação, se estiver preso. Não é para ficar 76 dias pedindo para depor e a autoridade que o prendeu não permite que deponha. Isso viola o mais comezinho direito constitucional“.

As opiniões de Torquato Jardim agravam bastante a situação do juiz Sérgio Moro que cada vez mais se encontra pressionado por conta de suspeitas da falsificação de documentos que condenaram o ex-presidente Lula, uma vez que o ministro afirmou não acreditar em “espontaneidade” de delator que ficou meses preso.

O ministro ressaltou que o amplo direito de defesa deve estar assegurado para todo investigado na operação e engrossou com ataques indiretos a Moro e o MPF ao mencionar que um juiz e um procurador não podem agir como se tivessem uma “carta na manga”, afirmando ainda que toda condenação exige fundamentação: “Os códigos modernos exigem que o juiz, na sentença, revele dominío da causa. Não basta citar o Direito. É preciso superar o mito do livre convencimento. Magistrado não tem livre convencimento. Não há livre convencimento fora dos autos. Tem que ser objetivamente provados. Um juiz não pode decidir com uma carta na manga. Um procurador não pode acusar com uma prova na manga. Ou há a prova provada, com a ampla defesa e a ampla acusação, ou não se atende ao pressuposto necessário do estado democrático de direito“.

Ainda, Torquato Jardim citou uma frase atribuída ao ministro Ricardo Lewandowski, do STF: “Prisões provisórias que se projetam no tempo. Denúncia baseada apenas em delação, com vazamento seletivo, a exposição de acusados ao escárnio popular e as conduções coercitivas e a busca de apreensão espalhafatosas são um retrocesso civilizatório“.

O Golpe mais sujo, espúrio e nojento que a democracia brasileira já sofreu

Esse é apenas um resumo. A história completa deve ser contada com todas as suas nuances, incluindo a Condução Coercitiva ilegal do ex-presidente Lula, as ações coordenadas de Gilmar Mendes com a PGR, as escutas ilegais de Moro e muito mais.

Nunca pensei que um substituto de uma Presidenta afastada, mas ainda não impedida pudesse formar um novo governo e impor novo projeto para a Nação. Isso é condenar antes de julgar. É desrespeitar os mais de 54 milhões de brasileiros que votaram neste projeto. E o STF não fez nada porque é partícipe urdidor deste golpe brutal à democracia e à esperança de um País mais justo.

Imagine o presidente de qualquer país viajar a serviço da nação. O vice assume interinamente e anula todos atos do presidente eleito, exonera ministros e nomeia outros. Extingue ministérios, orgãos criados por lei etc. Seria este o caso do Brasil. Tudo isso é puro jogo de cena. O povo está como naqueles filmes de vampiro em que a mocinha corre, corre e sente-se alviada quando encontra um guarda. Mas o guarda a abraça e lhe morde o pescoço, chupando-lhe o sangue. Foi golpe mezzzsmo. Chibata nas costas do povo.

1 – Julgamento do mensalão marcado para agosto de 2012 com ampla cobertura da grande mídia. Detalhe, em outubro haveriam eleições municipais. Mera coincidência certamente.
2 – A 1 mês das eleições de 2014 disparam a operação Lava Jato que investiga desvio de dinheiro na PETROBRAS. Atingindo duramente o PT, partido da presidenta e candidata a reeleição. Outra possível mera coincidencia,
3 – Dilma se reelege numa disputa apertada, onde a a grande mídia dava como certa a eleição de candidato da oposição Aécio Neves.
4 – O PSDB pede recontagem dos votos.
5 – A Veja aponta caminhos pra deposição da presidenta a saber dois : cassação via TSE (as contas já estavam aprovadas), ou por fraudes fiscais.
6 – Eduardo Cunha se elege presidente da câmara do deputados e se torna o principal inimigo de Dilma,
7 – O TCU que havia aprovado as contas do governo com ressalvas, e uma decisão inédia resolve reprovar as contas, utilizando como argumento os decretos suplementares, conhecidos como pedaladas, praticados por todos os governos anteriores, e governadores do país.
8 – O TSE resolve reabrir o processo de exame das contas de campanha, outrora aprovadas, em mais uma decisão inédita.
9 – A Lava Jato dispara uma operação por semana, e Vaza seletivamente sempre coisas que dizem respeito ao partido dos trabalhadores. Muitas delas jamais comprovadas.
10 – As agências de risco internacional, com alto grau de credibilidade como a S&P (????) começam rebaixar o os títulos do tesouro nacional.
11 – Intoxicadas por um bombardeio diáriio midiático, grande parte da população se revolta, e começam as mobilizações populares, dando horigem aos chamados COXINHAS.
12 – Operação Lava Jato prossegue, e Aécio Neves é citado 1500 vezes. Curiosamente não se abre uma única investigação contra o tucano.
13 – Surgem as contas de Cunha na Suiça.
14 – Conselho de ética da camara instaura processo de cassação do presidente da camara, que de posse de uns 5000 pedidos de impeachment dos mais diversos, ameaça a presidenta Dilma para os deputados do partido dos trabalhadores deem seus votos contrários a sua cassação.
15 – O PT declara que votará pela cassação. Eduardo Cunha aceita um dos 5000 pedidos de impeachment.
16 – Os grandes meios de comunicação dão uma cobertura ampla e hostil ao partido dos trabalhadores, ao mesmo tempo que atacam a crise economica, não abordando temas como a crise internacional, queda no preço das commodities, parlamento travado pelo presidenta da camara gangistes, preferindo sugerir que toda a culpa pela críse é de Dilma.
17 – Em meio convulsão social, é realizada a votação de abertura de um processo de impeachment mais vergonhoso da história da humanidade.
18 – O impeachment é admitido na camara dos deputados, o vice, que se mexeu mais do que dançarino de samba nos ultimos nove meses assume como presidente, e monta um ministério composto por pessoas investigas na lava jato, e integrandes da oposição derrotada nas urnas.
19 – Em 15 dias o governo interino comete uma série de trapalhadas histórica, e é chamado de Golpista. Acionada por deputados do PP, a ministra Rosa Weber intima a presidenta afastada a explicar o uso do termo GOLPE.
20 – Na semana de 23 de maior, surgem uma série de gravaçoes, com o ex presidente da transpetro, ex senador pelo PSDB, com integrantes do governo interino que explicam à ministra Rosa Weber, o por que do impeachment ser reconhecido internacionalmente como GOLPE.

 A fonte desta matéria é uma
coletânea de comentários de
internautas nas páginas que
noticiaram a intervenção ilegal
no governo de Dilma Rousseff

 

Máfia da Lava Jato começa a ruir

1

Sérgio moro vai fugir do Brasil ?

A Lava Jato falsificou documentos com o fim de criar provas para incriminar Lula.

Um livro publicado pelo advogado e doleiro da Odebrecht, o espanhol Tacla Duran, já está dando o que falar na Espanha mas as mídias brasileiras não sabem de nada… ou fingem que não vêem. Como foi dito pela imprensa amarela na última semana ‘o tal Combate à Corrupção é mais um cavalo de batalha do imperialismo mercantil.’

Na literatura de Duran consta que Rosângela Moro recebeu dinheiro dele. Ela mesma já configurou as manchetes sociais, há alguns meses, por desvio de grandes somas de dinheiro de uma entidade de apoio à crianças excepcionais. E a imprensa tradicional… não disse um ‘ai’…nada!

Os advogados de Luiz Inácio Lula da Silva estão lá no país europeu para apurar mais detalhes da acusação que aponta para a falsificação e produção de provas contra o ex-presidente. Mas um silêncio ruidosamente notado por todos paira sobre o assunto. A direita não se divide em detrimento do conjunto dos seus membros, tampouco a favor da esquerda, nem que ela desmanche a república e entregue ou venda o país, que é o que está acontecendo agora.

Na Espanha, a defesa de Lula já entende porque o juiz não liberou, quando solicitado pelos advogados do petista, acesso à documentação da Odebrecht usada para incriminar seu cliente. A casa vai cair.

LULAAA, ha ha ha…

O domingo de sol, ao menos aqui no Rio, pode ser a desculpa.

Mas a grande maioria dos comentaristas políticos da grande mídia está em silêncio, depois de uma quinzena em que decretou que “agora, Lula acabou”.

E vem o Datafolha e mostra o “defunto” não apenas vivo como esbanjando saúde, com taxas de crescimento eleitoral mais do que vigorosas.

Os demais candidatos, candidatos a candidato e factóides  pararam ou até retrocederam um pouquinho.

Não apenas isso: a tão brandida como intransponível rejeição a Lula cai seguidamente e, nas simulações de 2° turno, dependendo do adversário (Doria e Bolsonaro, por exemplo, chega a repetir seu melhor resultado eleitoral, o de 2006: 48% dos votos totais e 60% dos válidos.

Os poucos que falam algo – aquele site que, por uma questão sanitária evito citar o nome – chama de “esquizofrênica” a pesquisa da Folha, enquanto os datafolhistas oficiais culpam os pobres pelo favoritismo do “monstro”.

Os partidos convencionais – ou o que resta deles – está baratinado.

Como estão baratinados os dois partidos mais importantes do Brasil: a mídia e o PC, Partido de Curitiba.

A semana é de arranjar novas revelações “sensacionais” que tentam a, ao menos na aparência, evitar que o “duro de matar” do Lula seja o assunto de botequim.

Vão, como se vê, insistir na tática que levou a estre quadro, para eles, apavorante.

E Lula vai, ao contrário, retomar sua programação  de viagens, apostando no contato direto com a população, que é o canal que não lhe podem – ainda – fechar. E passa a uma fase mais propositiva, dentro em pouco, com a apresentação de projetos e metas para arrancar o Brasil da crise.

Ao contrário da pancadaria, que seguirá sendo a pauta burra da direita, que visivelmente já enjoou a população e  perdeu grande parte da credibilidade.

Enquanto isso, o país segue sua trilha de lama, com a revelação continuada das podridões de Moro e os esquemas sujíssimos do Ministério Público  na montagem das delações seletivas.

E, distantes dos nossos olhos, prepara-se no Tribunal Regional Federal a “eleição” de quem não pode ser presidente do Brasil.

Como no retorno de Getúlio, só pensam na máxima de Carlos Lacerda de que Lula não pode ser candidato, porque se for, vencerá e se vencer governará.

Fonte: Tijolaço

Lula cresce graças a Moro e lidera corrida presidencial até no 2º turno

O ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva (PT) se isolou ainda mais na disputa pela Presidência da República nas eleições de 2018 crescendo cinco pontos percentuais em relação à pesquisa anterior do Instituto Datafolha realizada em junho antes da condenação a nove anos e seis meses de prisão sentenciada por Serginho Moro.

O petista tem hoje 35% das intenções de voto, revela a pesquisa que será divulgada neste domingo. Nela, o estudo mostra que o deputado federal Jair Bolsonaro (PSC-RJ) e a ex-senadora Marina Silva (Rede) continuam empatados na segunda posição com Bolsonaro tendo oscilado entre 16% e 17%, e Marina entre 13% e 14%.

Os tucanos de Sampa, o governador Geraldo Alckmin e o prefeito João Doria, que brigam pela merreca de 8% das intenções de voto estão disputando indicação do PSDB para as próximas eleições presidenciais. O brontosauro peessedebista Alckmin manteve seu índice, mas o inexperiente e frustrado Doria caiu dois pontos em relação à junho.

Entretanto, ele se mantém ativo e ascendente. Lula, em todos os cenários de um eventual segundo turno, vence qualquer concorrente. Lula antes empatava tecnicamente com Marina Silva e agora isso só acontece com um juiz de Curitiba, caso seja candidato à Presidência da República em 2018.

Isso mesmo! Sergio Moro, que nega ter pretensões de disputar a Presidência, aparece empatado com Lula.

Raquel Dodge quer investigar Moro e a Lava Jato

1

Por essa Sérgio Moro, Aécio Neves e Michel Temer não esperavam: RAQUEL DODGE RESOLVEU REVER PROCESSOS SUSPEITOS DA LAVA JATO.

Será? Vejam o que dizem alguns nomes fortes do cenário político atual:

O ministro Marco Aurélio Mello afirma que “ela atua como acusadora com desassombro e coragem”. Já o ex-ministro da Justiça Eugênio Aragão diz que Dodge não dará mole ao Executivo Federal e que “Dodge não faz negócios obscuros à noite e muito menos aceitaria abraço de afogados“.

Seus aliados citam também, como exemplo, a Operação Caixa de Pandora (2009). Ela custou o mandato de um governador, José Roberto Arruda, do Distrito Federal, que teve sua prisão decretada e ordem executada por uma força-tarefa sob seu comando.

O caso estava nas mãos do STJ, onde ela era subprocuradora e assumiu a investigação. Foi nessa condição que ela reivindicou para o então procurador geral, Roberto Gurgel, a criação de uma força-tarefa.

Resumindo tudo conspira para uma maior complexidade das ações de nossa justiça.

%d blogueiros gostam disto: