Tag: SAÚDE

“Saúde no Brasil é mercadoria, por isso Bolsonaro atacou os cubanos”, diz médico neto do ex-presidente João Goulart

Por Redação Urbs Magna

“Bolsonaro quer transformar o Brasil em Cuba, mas numa Cuba anterior à revolução, que era um país totalmente submisso aos Estados Unidos”. A frase é do médico João Marcelo Goulart, neto do ex-presidente João Goulart e profissional do programa Mais Médicos, na cidade de Canoas (RS). Goulart conhece Cuba de perto. Durante seis anos, ele estudou na ilha, como aluno da Escola Latino Americana de Medicina, idealizada por Che Guevara. Quando se formou, o governo brasileiro estava lançando o Mais Médicos, programa ao qual ele e sua esposa, que é equatoriana também formada na Elam, aderiram.

Mandetta, o Ministro da Saúde de Bolsonaro, vai desmontar o SUS para favorecer Planos de Saúde

Por Redação Urbs Magna

Em 2013, Mandetta foi um dos mais ferrenhos opositores do programa Mais Médicos, criado pelo governo da então presidenta Dilma Rousseff. Além de afirmar que o projeto se tratava de uma “peça de marketing” da gestão petista, o futuro ministro da saúde disse que o convênio entre o governo brasileiro e a OPAS (Organização Pan-Americana de Saúde) era um “navio negreiro do século XXI”.

É o Caos! Saída dos Médicos Cubanos provoca carências graves em várias cidades

Por Redação Urbs Magna

Cidades pelo país começam a sentir os reflexos da saída dos cubanos que atuavam no programa Mais Médicos. Pacientes enfrentaram filas e atrasos para atendimentos nesta quarta-feira (21) e, em alguns postos, não havia médicos para realizar as consultas.

Carta de um trabalhador terceirizado ao ‘Mito’ eleito com esperança na revisão salarial a exemplo do caso Mais Médicos

Por Redação Urbs Magna

O eleitor ingênuo que votou em Bolsonaro achou que as críticas ao programa do Mais Médicos seria mesmo por defender o trabalhador Cubano. Leia esse depoimento de um trabalhador brasileiro terceirizado e sua esperança no (mito)

Bolsonaro deixa pobres sem médicos e recebe elogio dos EUA sinalizando total sintonia com sua política externa

Por Redação Urbs Magna

Os cerca de 8,3 mil profissionais cubanos distribuídos por cerca de 2,2 mil municípios brasileiros e que hoje fazem parte do Programa Mais Médicos começarão a deixar o Brasil com retorno ao seu país de origem dentro de dez dias. Apesar de deixar cerca de 24 milhões de brasileiros sem nenhum tipo de assistência médica, a pressão feita por Bolsonaro sobre os médicos cubanos, em um claro sinal de sintonia com a política externa norte-americana, foi elogiada pelo governo dos Estados Unidos.

Extinção do Mais Médicos é o epílogo do entreguismo iniciado no Golpe 2016 e terá seu Grand Finale na Saúde e na Educação

Por Redação Urbs Magna

O programa ‘Menos Médicos‘ de Jair Bolsonaro (PSL), que consiste em mandar embora os médicos cubanos, tem por trás uma lógica calculada, perversa e ideologicamente comprometida com o deus mercado. O Coiso pretende transferir essas duas áreas essenciais a particulares. “Defendendo voucher educação e voucher saúde para os que ficarem para trás, os que tem problemas, que não tiveram oportunidades”, explicou nesta quarta (14) Bolsonaro durante reunião com os governadores eleitos.

Saída de cubanos do ‘Programa Mais Médicos’ atinge Norte, Nordeste e as periferias das cidades brasileiras

Por Redação Urbs Magna

Os 8.500 médicos que deixarão o Brasil trabalham em 2.885 cidades, sendo que 1.575 municípios só possuem cubanos no programa — 80% desses locais têm menos de 20 mil habitantes”, alerta. “São 300 os médicos de Cuba que atuam em aldeias indígenas, o que corresponde a 75% do total que atende essa população”

PT REPUDIA TEMER QUE CORTA VERBAS DA SAÚDE, EDUCAÇÃO, SEGURANÇA E, JUNTO COM PARENTE, ACABA COM A PETROBRAS

Por Redação Urbs Magna

A bancada do PT na Câmara emitiu nota denunciando “o caráter antinacional, antipopular e pró-mercado do corte orçamentário promovido pelo governo golpista de Michel Temer” que “a pretexto de conter o impacto de suas medidas já desastrosas para solucionar a crise dos combustíveis, o governo ilegítimo penalizará ainda mais a população brasileira, sobretudo a parcela que mais necessita dos serviços públicos oferecidos pelo Estado”; texto, assinado pelo líder Paulo Pimenta (PT-RS), também pede a demissão imediata do presidente da Petrobras, Pedro Parente