PIB

Bolsonaro diz que “economia vai bem” e seguidores creem mais nele que em seus bolsos vazios

Bolsonaro se incomodou com o bombardeamento, por parte da imprensa, com notícias sobre o “pibinho” de pouco mais de 1% em 2019, o que o levou à uma transmissão ao vivo em suas redes sociais, nesta quinta (5), na qual afirmou que também ocorreu recessão nos números do PIB no Governo Dilma. Para o ‘mito …

Bolsonaro diz que “economia vai bem” e seguidores creem mais nele que em seus bolsos vazios Leia mais »

A farsa da retomada do crescimento do Brasil de Bolsonaro e Guedes: investidores sacaram US$ 62 bilhões, no ano de estréia

Além da fuga de investidores, dados de crescimento divulgados pelo governo são suspeitíssimos. Desde que Bolsonaro assumiu a presidência, o ministro da economia Paulo Guedes tem feito de tudo para agradar ao mercado de capitais e mesmo assim nada deu certo. Os investidores que chegariam de todos os lados após a reforma da previdência, simplesmente …

A farsa da retomada do crescimento do Brasil de Bolsonaro e Guedes: investidores sacaram US$ 62 bilhões, no ano de estréia Leia mais »

Banco Central admite: a economia parou, e o PIB do Brasil só 0,8%

Sob as incertezas do governo Bolsonaro e o receituário libera do ministro Paulo Guedes, a economia brasileira parou. O diagnóstico não é (apenas) da oposição – mas, sim, do Banco Central (BC), que divulgou nesta quinta-feira (27) o Relatório de Inflação de junho. Segundo o órgão, a projeção de crescimento do PIB para 2019 despencou de 2% para 0,8%. E o índice pode ser ainda menor, haja vista a falta de “sinais nítidos de recuperação” no segundo trimestre.

Governo prepara queda na projeção do PIB e novo bloqueio de até RS 10 bi

A equipe econômica fará uma revisão do crescimento da economia para algo entre 1,5% e 2% neste ano. Isso pode levar a um bloqueio adicional de até R$ 10 bilhões na próxima revisão orçamentária. No início deste mês, o governo bloqueou quase R$ 30 bilhões do Orçamento e reduziu a previsão de crescimento do PIB (Produto Interno Bruto) deste ano de 2,5% para 2,2%