Tag: NeoFascismo

O AI-5 do Guedes e a licença para matar sem punição: a escalada do neofascismo

Por Redação Urbs Magna

Entregue a um bando de vândalos alucinados, o Brasil deve ser o único país do mundo em que, neste momento, o governo, e não a oposição de descontentes, procura provocar uma convulsão social

Dilma: após 500 dias da prisão ilegal de Lula, o neofascismo devasta o Brasil

Por Redação Urbs Magna

“Agora, o mal está feito. O Brasil está sendo devastado por um governo neofascista na política e neoliberal na economia, encabeçado por um presidente escatológico e intolerante. Flagradas suas parcialidades, o juiz e os procuradores que se uniram em conluio para condenar Lula, destruir a economia e atropelar a Justiça negam o inegável. Desmentem o indesmentível”, diz a ex-presidente Dilma Rousseff, deposta pelo golpe de 2016, sobre a prisão política de Lula

O judiciário como linha de frente no avanço neofascista

Por Redação Urbs Magna

O ativista português João Bernardo, em seu Labirintos do fascismo: na encruzilhada da ordem e da revolta, se nega a apresentar uma unidade coesa nos diversos fascismos do século XX: identifica quatro eixos, que ora colaboram, ora disputam entre si pelo poder, tendo como base social um grupo bastante heterogêneo, de grandes industriais a camponeses, passando por funcionários de colarinho branco. Na página 216 ele cita que Maurice Bardèche, “o mais sábio dos fascistas franceses, prolongou a lição de Ledesma Ramos [um dos principais ideólogos do fascismo espanhol] chamando a atenção para ‘a impossibilidade de o fascismo se desenvolver fora dos períodos de crise. Porque ele não tem um princípio fundamental. Porque não tem uma clientela natural. É uma solução heróica. […] É o partido da nação em cólera. E principalmente […] dessa camada da nação que usualmente se satisfaz com a vida burguesa, mas que as crises perturbam, que as atribulações irritam e indignam, e que intervém então brutalmente na vida política com reflexos puramente passionais, quer dizer, a classe média. Mas essa cólera da nação é indispensável ao fascismo’. É certo que aquela situação de crise colocava problemas distintos a cada uma das classes e das camadas sociais, mas o fascismo pretendia possuir uma solução comum para essa diversidade de questões”.

BOLSOMITAS FÃS DE ROGER WATERS SAEM INCONFORMADOS DO SHOW APÓS LEVAREM INVERTIDA DO CANTOR

Por Redação Urbs Magna

O show de Roger Waters, nesta terça-feira (10), em São Paulo, se transformou em um enorme e confuso comício, com manifestações a favor e, sobretudo, contra o presidenciável Jair Bolsonaro (PSL), a começar pelo próprio cantor e compositor. Waters, como sempre faz em todas as apresentações de sua turnê “Us + Them”, colocou no telão uma lista de fascistas que têm assolado o planeta, a começar pelo presidente americano Donald Trump e, especialmente para o Brasil, projetou a hashtag #EleNão.