Tag: Bolsogate

BOLSOGATE: ex-assessor depositava 2/3 do salário na conta do laranja Queiroz, que enviava para o clã

Por Redação Urbs Magna

Primeiro a ser ouvido no caso do laranjal do gabinete de Flávio Bolsonaro (PSL) na Assembleia Legislativa do Rio, o ex-assessor do filho do presidente da República, Agostinho Moraes da Silva, admitiu ao Ministério Público do Rio de Janeiro que depositava, todos os meses, cerca de dois terços de seu salário na Casa Legislativa na conta de Fabrício Queiroz, também ex-assessor de Flávio Bolsonaro

Anúncios

‘Fantástico’ da Globo acusa Record de cumplicidade com o esquema Bolsonaro

Por Redação Urbs Magna

Um fato raro, quase inédito: a Globo partiu para o confronto público com a Rede Record do bispo Edir Macedo. O governo Bolsonaro está no centro da ofensiva da emissora dos Marinho contra a concorrente. Enquanto a Globo distancia-se cada vez mais do governo de extrema-direita, a Recoro (ao lado do SBT) tornaram-se as emissoras extraoficiais do novo regime. O jornalista Maurício Stycer, um dos maiores especialistas em TV do país, apontou em seu blog: “Fato muito incomum, neste domingo (20) a Globo fez uma crítica pública ao jornalismo praticado pela concorrente Record. Deu-se durante o ‘Fantástico’ e fez menção a uma entrevista exibida minutos antes por seu concorrente direto, o ‘Domingo Espetacular’”.

Flávio Bolsonaro ficou rico bem antes de se tornar empresário de chocolate, como ele tenta convencer

Por Redação Urbs Magna

O senador eleito Flávio Bolsonaro (PSL-RJ) acumulou seu patrimônio antes de se tornar empresário, conforme informações cartoriais, da Justiça Eleitoral e da Junta Comercial do Rio de Janeiro, informa o jornal Folha de S. Paulo; Flávio é sócio da Bolsotini Chocolates e Café Ltda, uma franquia da Kopenhagen no Via Parque Shopping, na Barra da Tijuca, Rio de Janeiro; ao responder sobre suas transações financeiras, o filho do presidente disse que era ‘empresário’ e que o que ele ganhava ‘na sua empresa’ era muito mais do que o salário de deputado.

“…o que ganho na minha empresa é muito mais do que como deputado”, afirma Flávio Bolsonaro mas data de escritura de imóvel e depósitos divergem

Por Redação Urbs Magna

A escritura de uma cobertura na rua Pereira da Silva, em Laranjeiras, deixou as condições do contrato de permuta entre o senador eleito Flávio Bolsonaro (PSL) e o ex-atleta Fábio Guerra. No documento, ficou estabelecido que, além da permuta de dois imóveis, Guerra deveria pagar R$ 600 mil. Os primeiros R$ 550 mil foram um sinal e outros R$ 50 mil foram pagos por meio de cheques que começaram no dia 24 de março de 2017. A escritura foi finalizada no 10º Ofício de Notas em 23 de agosto de 2017. São informações do Jornal Nacional desta segunda-feira (21/1).

Na TV, Flávio Bolsonaro dá explicações confusas e se afunda ainda mais na lama – Ainda tem mais: MP-Rio só mostrou a ponta do Iceberg

Por Redação Urbs Magna

Se a situação de Flávio Bolsonaro já era complicada, depois da entrevista esta noite para a TV Record ela se tornou insustentável. Só pessoas com déficit de inteligência podem acreditar na história que ele contou para justificar depósitos fracionados que totalizaram R$ 96 mil reais em sua conta, no período de um mês, entre junho e julho de 1997.Certos momentos da entrevista foram incompreensíveis, e o repórter, Lúcio Sturm, visivelmente não tinha autonomia para fazer os questionamentos pertinentes.

“Bom dia! O Brasil ainda vai voltar a ser feliz!”, diz Lula no Twitter neste domingo (20) em uma previsão otimista, com base nos escândalos dos Bolsonaros – ELE PODE VOLTAR

Por Redação Urbs Magna

Preso sem provas há nove meses para ser arrancado do processo eleitoral e para que abrisse espaço para a eleição de Jair Bolsonaro, o ex-presidente Lula mandou um recado neste domingo: o Brasil ainda vai voltar a ser feliz. O fato de Lula estar preso aumenta ainda mais a pressão contra o governo, no momento em que o bolsonarismo desmorona diante da descoberta de que Fabrício Queiroz, apontado como laranja do clã Bolsonaro, movimentou R$ 7 milhões em apenas três anos – o equivalente a sete triplex no Guarujá

Moro e Bolsonaro estão proibidos de comentar as investigações do Coaf, mas silêncio de Flávio revolta militares

Por Redação Urbs Magna

Após o Jornal Nacional revelar que um novo relatório do Conselho de Controle de Atividades Financeiras (Coaf) trazem movimentações financeiras atípicas do deputado estadual e senador eleito Flávio Bolsonaro (PSL-RJ), o Palácio do Planalto não só tenta blindar o presidente Jair Bolsonaro (20/1) para que as denúncias não o atinga como também o proibiu de comentar o assunto. A comunicação da Presidência da República acredita que qualquer fala do chefe do Executivo brasileiro pode fortalecer as suspeitas que recaem sobre seu filho mais velho, ao invés de diminuí-las.