Sergio Moro já tem 4 representações contra no CNJ, que diz: “…não existe o sujeito fazer plano de governo de toga”

06/11/2018 1 Por Redação Urbs Magna

Coluna de Mônica Bergamo da Folha de S. Paulo publicou que Moro terá que dar explicações ao CNJ, que tem um dos integrantes contrários às atitudes do juiz

Nossa Constituição Federal proíbe a participação de magistrados nas atividades políticas do país. Está escrito e é Lei – Como Sergio Moro sairá desta? Bem… aqui é o Brasil.


Receba nossas atualizações gratuitamente direto no seu WhatsApp
Salve nosso número em sua agenda e envie-nos uma mensagem
     whatsapp


O Conselho Nacional de Justiça (CNJ) deve analisar pelo menos quatro representações apresentadas contra Sergio Moro, informa a coluna de Mônica Bergamo no jornal Folha de S. Paulo. Uma delas questiona o encontro dele com o economista Paulo Guedes para falar sobre a participação do juiz no governo de Jair Bolsonaro. Outra questiona o fato de o juiz não ter se exonerado e sim tirado férias. Um dos integrantes do CNJ diz que “não existe o sujeito fazer plano de governo de toga” pois a Constituição veda a participação de juízes em atividades políticas.

O corregedor nacional de justiça Humberto Martins pretende dar celeridade aos processos e deve decidir sobre eles nos próximos dez dias.

Segundo a reportagem, “Martins analisará também o caso em que Moro divulgou conversas de Dilma Rousseff e Lula de forma inconstitucional, como definiu na época Teori Zavascki, do STF. A divulgação dos grampos ocorreu em 2016 mas até hoje a atitude de Moro não foi julgada pelo CNJ”.


LOGO FOOTER ET URBS MAGNA

Comente com o Face ou utilize a outra seção abaixo. Os comentários são de responsabilidade do autor e não têm vínculo com a publicação. Mantenha um bom nível de discussão, do contrário reservamo-nos o direito de banir seus perfis.