Sem noção total, Bolsonaro usa uma camisa fake do Palmeiras e mora como um indigente no Planalto

15/02/2019 1 Por Redação Urbs Magna

O presidente Jair Bolsonaro dormiu sob os aplausos do mercado financeiro, mas vai despertar nesta sexta-feira 15 sob o barulho das críticas das autoridades de fiscalização de mercadorias.

O Palácio do Planalto divulgou as fotografias oficiais da reunião em que, com ele à frente, no Palácio da Alvorada, foi fechada a proposta do governo para a reforma da Previdência. E o presidente apareceu com uma camisa falsificada.

No caso, do Palmeiras. É o tipo de produto muitas vezes fabricado por trabalho semi-escravo, que produz sem recolhimento de impostos e é fora de toda e qualquer especificação.

Muitas vezes, é feito no exterior, em países como a China, que Bolsonaro tanto critica, com entrada no Brasil pela via do contrabando. Mais: enseja, em diversos momentos, a prática da corrupção para conseguir ser levado até o consumidor.

Os clubes de futebol, como o seu alviverde do coração, gastam muito dinheiro para recomendar a seus torcedores que não comprem este tipo de peça, que não enseja royalties para as entidades esportivas. 

Do ponto de vista do protocolo, Bolsonaro sofreu o primeiro revés no comentário do colunista Ricardo Noblat, goste-se ou não, um dos mais influentes de Brasília e com milhões de leitores em seu blog, veiculado pela revista Veja.

“Que tipo de presidente é este que veste camisa falsificada de um time e posa no palácio onde mora como um indigente”, questionou o jornalista?

Et Urbs Magna via Revista Fórum

Receba nossas atualizações direto no seu WhatsApp – Salve nosso número em sua agenda e envie-nos uma mensagem – É GRÁTIS – ACESSE AQUI

Doe ao Et Urbs Magna

𝙲𝙾𝙽𝚃𝚁𝙸𝙱𝚄𝙰 𝚌𝚘𝚖 𝚘 𝚅𝙰𝙻𝙾𝚁 𝚀𝚄𝙴 𝙳𝙴𝚂𝙴𝙹𝙰𝚁 (O valor está expresso em Dólar americano) Para alterar o valor a contribuir, basta alterar o MULTIPLICADOR na caixa correspondente 𝐀 𝐩𝐚𝐫𝐭𝐢𝐫 𝐝𝐞 𝐔𝐒𝐃 $ 5 até o limite que desejar

$5.00

𝘊𝘰𝘮𝘦𝘯𝘵𝘦 𝘤𝘰𝘮 𝘴𝘦𝘶 𝘍𝘢𝘤𝘦𝘣𝘰𝘰𝘬 𝘰𝘶 𝘶𝘵𝘪𝘭𝘪𝘻𝘦 𝘢 𝘰𝘶𝘵𝘳𝘢 𝘴𝘦çã𝘰 𝘮𝘢𝘯𝘵𝘪𝘥𝘢 𝘢𝘣𝘢𝘪𝘹𝘰. 𝘖𝘴 𝘤𝘰𝘮𝘦𝘯𝘵á𝘳𝘪𝘰𝘴 𝘴ã𝘰 𝘥𝘦 𝘳𝘦𝘴𝘱𝘰𝘯𝘴𝘢𝘣𝘪𝘭𝘪𝘥𝘢𝘥𝘦 𝘥𝘦 𝘲𝘶𝘦𝘮 𝘰𝘴 𝘱𝘶𝘣𝘭𝘪𝘤𝘢 𝘦 𝘱𝘰𝘥𝘦𝘮 𝘯ã𝘰 𝘳𝘦𝘧𝘭𝘦𝘵𝘪𝘳 𝘢 𝘰𝘱𝘪𝘯𝘪ã𝘰 𝘥𝘰 𝘴𝘪𝘵𝘦. 𝘛𝘦𝘹𝘵𝘰𝘴 𝘷𝘶𝘭𝘨𝘢𝘳𝘦𝘴 𝘦 𝘥𝘪𝘴𝘤𝘶𝘳𝘴𝘰𝘴 𝘥𝘦 ó𝘥𝘪𝘰 𝘴ã𝘰 𝘥𝘦𝘴𝘯𝘦𝘤𝘦𝘴𝘴á𝘳𝘪𝘰𝘴 𝘱𝘢𝘳𝘢 𝘢 𝘤𝘰𝘯𝘴𝘵𝘳𝘶çã𝘰 𝘥𝘦 𝘶𝘮𝘢 𝘴𝘰𝘤𝘪𝘦𝘥𝘢𝘥𝘦 𝘤𝘪𝘷𝘪𝘭𝘪𝘻𝘢𝘥𝘢. 𝘕𝘦𝘴𝘵𝘦𝘴 𝘤𝘢𝘴𝘰𝘴, 𝘳𝘦𝘴𝘦𝘳𝘷𝘢𝘮𝘰-𝘯𝘰𝘴 𝘰 𝘥𝘪𝘳𝘦𝘪𝘵𝘰 𝘥𝘦 𝘣𝘢𝘯𝘪𝘳 𝘴𝘦𝘶𝘴 𝘱𝘦𝘳𝘧𝘪𝘴.
Anúncios