Robinho diz que não errou em estuprar, mas em trair

17/10/2020 0 Por Redação Urbs Magna
Compartilhe

“Estou rindo porque não estou nem aí, a mulher estava completamente bêbada, não sabe nem o que aconteceu”

Ontem, sexta (16), o Santos F.C. suspendeu o contrato de Robinho para que o jogador de futebol possa se concentrar com exlusividade em sua defesa no processo que corre na Itália, o atacante tem se defendido das acusações que lhe renderam condenação por estupro em 1ª instância.

Transcrições de interceptações telefônicas realizadas com autorização judicial apontaram que o esportista havia participado de um estupro coletivo para com uma jovem de origem albanesa, em Milão, na Itália, mas Robinho nega e afirma que toda relação que teve com a denunciante foi consensual.

A decisão do Tribunal de Milão ainda não é definitiva e é alvo de contestação da defesa de Robinho.  Ao Portal UOL, o jogador disse que seu único arrependimento foi ter sido infiel à sua mulher. 

“Olha, eu me arrependo de ter traído a minha esposa. Este é o meu arrependimento”, declarou o jogador, que jamais negou ter tido uma relação com a mulher. Segundo Robinho, tudo que aconteceu entre eles foi de comum acordo e que ele teria ido embora antes que seus amigos tivessem cometido algum crime.

Robinho conversou com exclusividade com o UOL Esporte por cerca de 40 minutos, entrecortados por intervenções de seu staff, para falar sobre os incidentes de 2013 com uma garota albanesa na Itália que acabaram em condenação em primeira instância por estupro.

Ele disse que é inocente, admitiu contato íntimo com a mulher e falou que o único erro que cometeu foi ter traído a esposa.

A questão é: qual foi o erro que eu cometi? Qual foi o crime que eu cometi? O erro foi não ter sido fiel a minha esposa, não cometi nenhum erro de estuprar alguém, de abusar de alguma garota ou sair com ela sem o consentimento dela“, afirmou.

Continua após o vídeo

No ano de 2017, a Justiça italiana se baseou principalmente no conteúdo exposto em gravações para condenar o atacante em primeira instância a nove anos de prisão. A investigação aponta que o jogador Robinho e mais cinco amigos levaram a vítima ao camarim da boate Sio Café, em Milão, e lá os abusos sexuais aconteceram.

“Estou rindo porque não estou nem aí, a mulher estava completamente bêbada, não sabe nem o que aconteceu”, afirmou o jogador, em resposta ao músico Jairo Chagas, que tocou na noite do ocorrido na boate de Milão, segundo as transcrições apresentadas, com exclusividade, pelo Globoesporte.com.

Telegram: Acesse e SIGA NOSSO CANAL

Comente com o Face ou utilize a outra seção abaixo. Os comentários são de responsabilidade do autor e não têm vínculo com a publicação. Mantenha um bom nível de discussão, do contrário reservamo-nos o direito de banir seus perfis.
Compartilhe