Procurador da Lava Jato deve ser preso por recebimento de propina, dizem líderes do PT

30/11/2019 1 Por Redação Urbs Magna
Procurador da Lava Jato deve ser preso por recebimento de propina, dizem líderes do PT

As principais lideranças petistas estão sugerindo a prisão do procurador Januário Paludo, da força-tarefa Lava Jato, pelo recebimento de propina do doleiro Dario Messer


O líder do PT na Câmara, deputado Paulo Pimenta (RS), disse que o procurador Paludo é a ponta podre do iceberg da “Farsa Jato”. “Se o doleiro dos doleiros [Dario Messer] fizer uma delação essa turma da Lava Jato e os advogados de estimação de [Sérgio] Moro e [Deltan] Dallagnol serão todos presos”, afirmou o líder petista.

Esta imagem possuí um atributo alt vazio; O nome do arquivo é ET-URBS-MAGNA-LARANJA-um2-1024x1024.png
Telegram
Receba nossas Newslleters
gratuitamente. Acesse e siga
NOSSO CANAL
Não tem o aplicativo? ACESSE AQUI e
Saiba por que o TELEGRAM é 10 vezes
melhor que o WHATSAPP
Acompanhe as publicações do
ET URBS MAGNA no FACEBOOK
(CURTA AQUI)
Utilize o espaço abaixo que reservamos
para você fazer comentários. Role a página
e comente sobre este assunto.
Os comentários não representam a opinião
do ET URBS MAGNA. A responsabilidade
é do autor da mensagem.




Do Blog do Esmael – O ex-presidente da OAB-RJ e ex-deputado Wadih Damous classificou “bate pau” da Lava Jato o procurador apontado como recebedor de propina de doleiro.

“Depois dessa revelação e das do Intercept fica mais claro que a Lava Jato só se mantém de pé para cumprir a missão de algoz de Lula. É tão corrupta quanto muitos que prendeu”, denunciou Damous.




O advogado Edu Goldenberg, do Rio, também sugeriu que Paludo esteja precisando de uma lição no cárcere.

O causídico carioca tuitou print de um post do procurador perguntando se prisão não tinha servido de lição a Lula, por supostamente o petista estar insuflando protestos como no Chile.

Em mensagem ao ministro da Justiça, Sérgio Moro, Goldenberg pergunta qual destino o “lixo” do pacote anticrime prevê qual para o procurador Januário Paludo, ídolo do coordenador da força-tarefa Lava Jato, Deltan Dallagnol.

Anúncios