Registro do ex-presidente no sítio Los Fubangos, às margens da represa Billings, em 2002 - Luludi Melo

Processo de Lula sobre o sítio de Atibaia tramita em vara onde decisões têm sido contrárias à Lava Jato

Dois juízes considerados garantistas poderão assumir o processo na 12ª Vara Federal em Brasília, onde um deles anulou, em janeiro, provas de uma investigação contra Guido Mantega

A 12ª Vara Federal em Brasília é o destino do processo em que o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva foi condenado a 17 anos e 1 mês de prisão por ter aceitado obras no sítio que frequentava em Atibaia (SP) realizadas pela OAS e Odebrecht.

O envio foi decidido pelo Supremo Tribunal Federal, que entendeu a 13ª Vara de Curitiba como incompetente para julgar o caso.

Dois juízes poderão assumir o processo: o titular, Marcus Vinicius Reis Bastos, ou a substituta, Pollyanna Kelly Maciel Medeiros Martins Alves.

Os dois são considerados garantistas e têm dado decisões contrárias à Lava Jato, diz Camila Mattoso no Painel da Folha de S. Paulo.

Em janeiro, Reis Bastos anulou provas de uma investigação contra o ex-ministro da Fazenda Guido Mantega, após o STF entender que a Justiça do Paraná era incompetente julgar o caso, como no caso do Lula.

Ele também absolveu recentemente o ex-presidente Michel Temer no chamado “quadrilhão do MDB”.


Siga no Telegram

Comente

Comente

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.