Pobre de Direita: um organismo vivente no vácuo social – por Daniel da Costa

29/01/2020 Off Por Redação Urbs Magna

A estranha e triste condição do pobre de direita que assume para sua vida as mentiras do Estado mínimo, da meritocracia, do individualismo, da competição etc. provenientes da ideologia liberal que prega essas mentiras há pelo menos 300 anos no mundo sem que nunca tenham sido comprovadas como benéficas ou aplicadas por qualquer governo minimante sério e comprometido com sua população.

Em toda história, os liberais capitalistas oportunistas sempre se aproveitaram dos investimentos públicos para se enriquecerem cada vez mais.

A mente do pobre de direita (seja ele trabalhador assalariado, classe média, pequeno e médio comerciante, ou dono de pequena e média empresa etc., todos pobres, pois não são capitalistas, ou seja, nao são donos dos meios de produção), a mente do pobre alienado e sem consciência política, que não sabe qual é o seu verdadeiro lado na história, e o seu lugar na sociedade; a mente desse pessoal imbecilizado pela mídia golpista é muito limitada.

Pois, tendo sido adestrado pela ideologia liberal durante anos, em todos os dia de sua vida, o pobre de direita age de maneira condicionada.

Age já por reflexo condicionado, como os cães de Pavlov, em relação a todo e qualquer problema complexo histórico e social.

E faz isso a partir da emissão vocal, rápida e na ponta da língua, de soluções abstratas e formulas idealistas, desconectadas da realidade concreta, e sempre apenas muito fáceis de ser ditas, sobre problemas complexos que exigem estudo detido e longo, atenção, sensibilidade, capacidade de compreensão e valores humanos.

O pobre de direita repete estas fórmulas da ideologia liberal achando que são fruto de sua reflexão pessoal, sem nunca chegar a pensar realmente de maneira séria, detida e estudada, sobre os problemas profundos da vida social.

O pobre de direita não pensa sobre de onde vem sua crença.

O pobre de direita não percebe a idiotice que apenas repete sem consciência e de maneira automática, como se possuísse uma fórmula mágica de solução para todos os problemas sociais e políticos, éticos e econômicos, educacionais e culturais, de distribuição de renda e infraestrutura etc.

Tudo isso, para o pobre de direita, pode ser resolvido de maneira simples e rápida através de suas fórmulas mágicas vazias, que ele foi adestrado a defender durante sua vida individualista e afastada da vida social e política do seu país e de sua comunidade próxima.

Os pobres de direita defendem as fórmulas prontas e rápidas da ideologia liberal, que a minoria canalha endinheirada da rapina do bem público (banqueiros e rentistas principalmente, mas não somente) paga caro para que sejam inculcadas na mente da população trabalhadora alienada pela mídia golpista internacional e brasileira.

Ao que o pobre de direita acaba achando que pertence ao clube dessa minoria endinheirada traidora e canalha que roubará o futuro da nação, o futuro do pobre de direita e de seus filhos, se apropriando das riquezas nacionais e do bem público, do bem comum.

Assim, o pobre de direita passa a defender a agenda dessa minoria como se fosse sua …. quando, na verdade, não passa apenas de um trabalhador pobre sem consciência de classe, sem consciência histórica, sem sentimento de pertença cultural … Um ser que existe no vácuo social e sempre, para a minoria endinheirada da rapina, como uma mera vasilha vazia a ser preenchida durante o dia com idiotices, pelos meios de comunicação de massa amigos da rapinagem do bem público …

Esse pobre de direita só consegue descobrir quem é, quando consegue descobrir, quando o mal, que deseja e acha pouco para os outros, e com sorriso no rosto de satisfação, chega também a ele ou aos seus familiares queridos.

Mas é mais certo que o pobre de direita pensará que os problemas sociais, que também o afetam, são coisas do “demônio” (problemas só metafísicos e não concretos, políticos), e irá à falsas igrejas cristãs, ou centros espírita, ou mesquitas, ou sinagogas, ou terreiros, ou templos budistas etc. deixar alguma oferta, oferenda ou realizar algum sacrifício para ver se seu “caminho fica aberto” pela respectiva divindade.

(Até a religiosidade do pobre de direita é falsa. Pois entende a divindade como seu despachante do céu “privado” que, por meio de pagamento, ficará obrigado a resolver todos os seus problemas num passe de mágica.)

Ou isso, ou o pobre de direita entenderá que seus problemas acontecem porque ele é um incopetente e sem mérito.

Ambas as soluções anteriores são muito queridas e desejadas pelos ideólogos liberais, pois ajudam a manter sua mentira social e política intacta, sua desordem social perversa em nome de uma tal “ordem social” falsa e hipócrita que será mantida por meio da violência do Estado (que a canalha liberal não o quer nenhum pouco mínimo nessa atribuição.)

Concordando com isso, o pobre de direita orientará seu ódio contra os outros pobres, principalmente negros e periféricos. E aplaudirá a violência de Estado contra os outros pobres.

Mas nunca, nunca contra os verdadeiros criminosos que são as minorias endinheiradas da rapina que enganam o pobre de direita …

Assim, o pobre de direita nunca chega à conclusão de que seus problemas são, na verdade, consequências de sua burrice nas escolhas políticas que faz e defende por toda sua vida individualista …

Portanto, só quando o mal lhe chega à porta é que o pobre de direita tem a oportunidade de dar um salto cognitivo, se der! Isso não é garantido.

Pois, como vimos antes, a ideologia liberal soube aperfeiçoar os meios de enganar o pobre de direita e desviar sua atenção do verdadeiro cerne dos problemas.

Assim, o salto cognitivo do pobre de direita só será possível se conseguir prestar atenção e perceber que precisa das taxas menores oferecidas pelos bancos públicos para tocar sua vida financeira.

Se, quando estiver desempregado, descobrir que o SUS é muito importante para os milhões e milhões que, como ele, não podem pagar plano de Saúde.

Quando ficar com câncer e for obrigado a mudar a alimentação, descobrir o grande valor da agricultura familiar promovida pelo MST, com sua produção de alimentos orgânicos, já que os latifundiários lhe darão no máximo isopor com agrotóxicos para ele e sua família comerem.

Quando for fazer uma entrevista para vaga de emprego, descobrir como são importantes os subsídios e descontos nas tarifas do transporte público, possíveis por causa de políticas públicas de partidos progressistas comprometidos com a classe trabalhadora, importantes e decisivas para o seu destino de empregado, depois de longo período de desemprego.

Quando ficar idoso, e descobrir como é importante a seguridade social na velhice, ao menos mantida através de uma aposentadoria pública sólida através de um Estado responsável que respeite e cumpra a CF.

Descobrirá como é importante na velhice, quando não tiver mais forças, ter a garantia mínima de sobrevivência digna através de uma política de valorização do salário mínimo, tal como a que havia nos governos do PT, para não ter que escolher entre pagar aluguel ou comprar comida ou comprar remédio.

Quando ficar idoso, e com poucas forças, descobrir como são importantes as políticas públicas que visam o cuidado dos cidadãos e cidadãs brasileiras, principalmente quando estas chegam nos dois extremos da fragilidade característica da existência humana: a infância e a velhice.

Assim, ou o pobre de direita alienado descobre isso antes, na idade apropriada, ou, na velhice, quando já lhe faltar neurônios, se transformará em mais um bruto envelhecido.

Mais um na massa de manobra da minoria endinheirada traidora e golpista. Mais um que passou pela vida, sem que a vida lhe ensinasse o mais importante:

QUEM ELE REALMENTE É!

Comente com o Face ou utilize a outra seção abaixo. Os comentários são de responsabilidade do autor e não têm vínculo com a publicação. Mantenha um bom nível de discussão, do contrário reservamo-nos o direito de banir seus perfis.