PM prende mais dois que operaram drone: “Bolsonarismo é só fezes mesmo”, diz jornalista

FOTO: Um drone sobrevoou o local em que, mais tarde, LULA e Kalil realizaram evento, em Uberlândia (MG), e lançou fezes e urina nas pessoas presentes | Foto de Leandro Couri / EM/D.A. Press

Suspeitos foram localizados em uma caminhonete, após populares seguirem o pouso e chamarem a polícia, que apreendeu o lança-fezes

A reações nas redes sociais foram instantâneas, após a notícia de que fezes e urina foram lançadas no público, por meio de um drone, horas antes do encontro político do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva (PT), do ex-governador de São Paulo, Geraldo Alckmin (PSB), e do ex-prefeito de Belo Horizonte, Alexandre Kalil (PSD), em Uberlândia, no Triângulo Mineiro. 

Onde tem bolsonarismo, tem métodos repugnantes“, afirmou o deputado federal Ivan Valente (PSOL-SP), em sua conta no Twitter.

Já o jornalista Tiago Barbosa chamou de “delinquentes bolsonaristas” os “que usaram um drone para jogar fezes em petistas em MG” e acrescentou que eles “deixaram duas coisas claras: eles querem ver merda atirada contra o imbecil que elegeram porque consideram válida essa linguagem – e serão os responsáveis” e, em segundo, que “bolsonarismo é só fezes mesmo“.

De acordo com publicação no jornal O Estado de Minas, mais duas pessoas foram presas por controlar o drone, que teria partido de um condomínio vizinho ao Centro Universitário do Triângulo (Unitri), local do evento.

Os suspeitos foram localizados pela polícia numa caminhonete. Populares que estavam no local seguiram o pouso do drone e chamaram a polícia. O lança-fezes voador foi apreendido.

LULA sobre o drone

À noite, o ex-presidente LULA comentou a ocorrência. O líder das pesquisas de intenção de voto para a eleição presidencial de outubro afirmou que a atitude não condiz com a índole do mineiro, que tem como qualidade a tranquilidade e o gesto da bondade na política, e acrestentou:

Esse cidadão não é da turma do Tiradentes, é da turma do Silvério dos Reis, ele é da turma dos traidores. Esse cidadão não é da turma do Tancredo, esse cidadão é daqueles da turma daqueles que deram o golpe em 64. Vocês podem ficar certo que um cidadão desse não merece o nosso respeito, mas nós não vamos tratá-los como eles nos tratam, porque nós somos civilizados, nós acreditamos na recuperação do ser humano”.

Depois, o pré-candidato ao governo de Minas, Alexandre Kalil, pediu desculpas ao presidente pelo ocorrido disse que a caneta do poder será entregue a quem tem coração e olhar humano e não para os desumanos que negam a ciência e amam a cloroquina, a desumanidade e a fome.

Vamos entregar a caneta para quem governa com amor, com caridade e com consciência”, disse.

Siga Urbs Magna no Google Notícias
Comente

Comente

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.