Petra Costa: fanáticos da seita fascista de Bolsonaro querem o AI-5 e nem sabem o que é

21/04/2020 1 Por Redação Urbs Magna
Compartilhe

Et Urbs Magna – A cineasta brasileira Petra Costa, que teve seu documentário ‘Democracia Em Vertigem‘ indicado ao Oscar 2020, explica aos desatentos seguidores do incauto presidente do Brasil o significado do AI-5 tão desejado nas manifestações do último domingo (19). Segundo ela, é provável que alguns integrantes da manada estejam seguindo um rumo desconhecido, sem mesmo saber quais as propostas do quinto grande decreto, de uma lista de dezessete, emitido pela ditadura militar nos anos pós-golpe de estado de 1964.

Petra Costa, cineasta

Junte-se a 37.117 outros assinantes

Petra Costa:

Precisamos falar sobre o “AI-5”. Milhares de fanáticos da seita fascista liderada pelo presidente defendem em cartazes, gritos e tuítes “um novo AI-5”, mas eu não sei se eles sabem do que estão falando. Então, vamos explicar:

O “AI-5” foi um “ato institucional” de 1968, ditado ilegalmente pelos criminosos que usurpavam o poder na República durante a ditadura militar. Foi assinado pelo ditador Artur da Costa e Silva.

Pelo AI-5, entre outras coisas, foi autorizado o fechamento do Congresso, a censura da imprensa, da televisão, do teatro, da música e do cinema, foram ilegalizadas as reuniões políticas, suspenderam os habeas corpus e as garantias constitucionais e se permitiu o uso da tortura.

Pelo AI-5, você poderia ser preso sem ter cometido crime algum, sem direito a advogado, e poderia ser brutalmente torturado por Brilhante Ustra, o ídolo do presidente, que enfiava ratos na vagina das mulheres. E os jornais não poderiam denunciar, porque seriam censurados.

Pelo AI-5, não haveria Congresso, nem oposição, nem direito à manifestação e à reunião pacífica de pessoas. Você só poderia ler os livros autorizados pelo governo, ouvir as músicas e assistir aos filmes que o presidente quiser e ler as notícias que ele autorizar. E só.

Pelo AI-5, você poderia ser sequestrado pelas milícias de Bolsonaro, enfiado num porão, torturado com choque elétrico e executado por ordem do governo. E sua família não poderia fazer nada.

Então, antes de defender “um novo AI-5”, procure um livro de história para entender o que você está dizendo. Procure rápido, porque se houver um novo AI-5, os livros de história não vão mais explicar, porque serão queimados ou censurados. E quem tentar falar aqui vai ser morto.

Por Petra Costa em seu Twitter

Telegram: Acesse e SIGA NOSSO CANAL

Comente com o Face ou utilize a outra seção abaixo. Os comentários são de responsabilidade do autor e não têm vínculo com a publicação. Mantenha um bom nível de discussão, do contrário reservamo-nos o direito de banir seus perfis.
Compartilhe