O Século da China: Falta pouco para o Yuan destronar o Dólar

25/01/2021 0 Por Redação Urbs Magna

A China se tornou a única grande economia que resta depois que a pandemia do coronavírus abalou o comércio global e deve retirar os EUA de suas posições de liderança em breve, acredita Gerald Celente, analista de tendências americano, editor do Trends Journal , consultor de negócios e autor que faz previsões sobre os mercados financeiros globais e outros eventos importantes.


“O século 20 foi o século americano, o século 21 será o século chinês”


Ao juntar-se a Max Keizer no último episódio do Relatório Keizer da RT, Celente disse que a China é a tendência principal deste ano. Prevê-se também que domine todo o século 21, como os EUA fizeram após a Segunda Guerra Mundial, e está a caminho de substituir a América, segundo o analista. 

“O século 20 foi o século americano, o século 21 será o século chinês” , disse ele, observando que Washington está mais preocupado em fazer guerras, enquanto a China está focada em seus negócios. 

Ele ressaltou ainda que os EUA agora se parecem com a Inglaterra após a Primeira Guerra Mundial, quando o dólar tomou o lugar da libra esterlina. “Pude ver nos próximos anos o yuan sendo a principal moeda do mundo, e o dólar se tornando a libra, sendo derrubado”, disse o analista.

Comente com o Face ou utilize a outra seção abaixo. Os comentários são de responsabilidade do autor e não têm vínculo com a publicação. Mantenha um bom nível de discussão, do contrário reservamo-nos o direito de banir seus perfis.