“Nojo”, publicou mídia internacional sobre vídeo obsceno de Bolsonaro, que o fez perguntar depois: “O que é golden shower?”

07/03/2019 1 Por Redação Urbs Magna

Na coluna Radar, do site da revista Veja sob a responsabilidade de Maurício Lima, o jornalista Ernesto Neves informa que o desatino do presidente Jair Bolosnaro sobre o carnaval é alvo do New York TimesGuardian e Independent. “O vexaminoso tuíte de Jair Bolsonaro sobre o carnaval já repercute na imprensa internacional”, escreve ele. 

“O New York Times começa seu artigo dizendo que o artigo sobre o presidente da quarta maior democracia do mundo ‘contém um vídeo com forte conteúdo sexual” e que o jornal “fez o possível para mantê-lo digno’”, diz Ernesto Neves.

De acordo com o Times, informa o jornalista, “o carnaval brasileiro tem uma “abundância de trajes sexualmente sugestivos e não faltam demonstrações públicas de afeto”. “Mas as cenas destacadas por Bolsonaro seriam tratadas como aberração caso acontecessem nos blocos de rua.”

O jornal americano prossegue.

“O que isso tudo nos diz sobre a era Bolsonaro? Para começar, fica evidente que Bolsonaro é tão impulsivo nas redes sociais como presidente quanto foi como candidato. Assessores e aliados vêm expressando, continuamente, desconforto com presidente, que continua a conduzir o país através do WhatsApp”.

Já o britânico Independent vê no tuíte de Bolsonaro uma tentativa de desacreditar os protestos que ele sofreu durante o Carnaval.

“O presidente do Brasil, Jair Bolsonaro, postou um vídeo sexualmente explícito no Twitter em uma aparente tentativa de desacreditar o Carnaval de São Paulo, um festival anual de rua da cidade, que contou com protestos contra sua agenda de extrema-direita”, escreveu a publicação (veja abaixo).

The Guardian, por sua vez, diz que Bolsonaro foi ridicularizado em seu próprio país pela postagem.

“O presidente de extrema-direita do Brasil, Jair Bolsonaro, provocou indignação, nojo e ridicularização depois de tuitar um vídeo pornográfico em uma aparente tentativa de revidar as críticas de seu governo durante o carnaval deste ano”, escreveu o Guardian.

Ernesto Nevez diz ainda que a publicação destaca ainda que um bloco de Carnaval realizado na frente da casa de Bolsonaro, na orla da Barra da Tijuca, no Rio, denunciou as supostas ligações da família de Flávio Bolsonaro com as milícias.

𝘊𝘰𝘮𝘦𝘯𝘵𝘦 𝘤𝘰𝘮 𝘴𝘦𝘶 𝘍𝘢𝘤𝘦𝘣𝘰𝘰𝘬 𝘰𝘶 𝘶𝘵𝘪𝘭𝘪𝘻𝘦 𝘢 𝘰𝘶𝘵𝘳𝘢 𝘴𝘦çã𝘰 𝘮𝘢𝘯𝘵𝘪𝘥𝘢 𝘢𝘣𝘢𝘪𝘹𝘰. 𝘖𝘴 𝘤𝘰𝘮𝘦𝘯𝘵á𝘳𝘪𝘰𝘴 𝘴ã𝘰 𝘥𝘦 𝘳𝘦𝘴𝘱𝘰𝘯𝘴𝘢𝘣𝘪𝘭𝘪𝘥𝘢𝘥𝘦 𝘥𝘦 𝘲𝘶𝘦𝘮 𝘰𝘴 𝘱𝘶𝘣𝘭𝘪𝘤𝘢 𝘦 𝘱𝘰𝘥𝘦𝘮 𝘯ã𝘰 𝘳𝘦𝘧𝘭𝘦𝘵𝘪𝘳 𝘢 𝘰𝘱𝘪𝘯𝘪ã𝘰 𝘥𝘰 𝘴𝘪𝘵𝘦. 𝘛𝘦𝘹𝘵𝘰𝘴 𝘷𝘶𝘭𝘨𝘢𝘳𝘦𝘴 𝘦 𝘥𝘪𝘴𝘤𝘶𝘳𝘴𝘰𝘴 𝘥𝘦 ó𝘥𝘪𝘰 𝘴ã𝘰 𝘥𝘦𝘴𝘯𝘦𝘤𝘦𝘴𝘴á𝘳𝘪𝘰𝘴 𝘱𝘢𝘳𝘢 𝘢 𝘤𝘰𝘯𝘴𝘵𝘳𝘶çã𝘰 𝘥𝘦 𝘶𝘮𝘢 𝘴𝘰𝘤𝘪𝘦𝘥𝘢𝘥𝘦 𝘤𝘪𝘷𝘪𝘭𝘪𝘻𝘢𝘥𝘢. 𝘕𝘦𝘴𝘵𝘦𝘴 𝘤𝘢𝘴𝘰𝘴, 𝘳𝘦𝘴𝘦𝘳𝘷𝘢𝘮𝘰-𝘯𝘰𝘴 𝘰 𝘥𝘪𝘳𝘦𝘪𝘵𝘰 𝘥𝘦 𝘣𝘢𝘯𝘪𝘳 𝘴𝘦𝘶𝘴 𝘱𝘦𝘳𝘧𝘪𝘴.
Anúncios