MUNIÇÃO USADA PARA MATAR VEREADORA É DE LOTES VENDIDOS À PF EM BRASÍLIA

16/03/2018 2 Por Redação Urbs Magna

A Polícia Federal afirma que um inquérito foi instaurado para apurar a origem das munições e as circunstâncias do assassinato. O órgão trabalhará em conjunto com a Polícia Civil.
As polícias civis do Distrito Federal e do Rio de Janeiro e a Polícia Federal (PF) devem atuar em conjunto para investigar se a munição utilizada pelos criminosos que mataram a vereadora Marielle Franco (PSOL), na quarta-feira (14/3), é de lotes vendidos para a PF de Brasília em 2006. No Rio de Janeiro, a investigação está a cargo da Divisão de Homicídios.

A perícia realizada no fim da tarde de quinta-feira (15/3) possibilitou a conclusão dos policiais sobre a munição. Marielle Franco e Anderson Pedro foram mortos com tiros de uma pistola calibre 9mm. Ao longo de todo o dia ontem, a polícia havia informado que nove cápsulas de balas havia sido encontradas no local do crime. No entanto, a análise feita depois apontou que 13 disparos atingiram o carro da vereadora.

A principal linha de investigação da Delegacia de Homicídios é execução, pois os criminosos fugiram sem levar nada. Marielle Franco levou ao menos 4 disparos na cabeça, e Anderson Pedro, 3 tiros nas costas. Eles morreram na hora.

Em nota, divulgada no começo da tarde de hoje, a Polícia Federal afirmou que além do trabalho em conjunto entre as polícias, já foi instaurado inquérito para apurar a origem das munições e as circunstâncias envolvendo as cápsulas encontradas no local do crime.

“A Polícia Federal no Estado do Rio de Janeiro e a Polícia Civil do Estado do Rio de Janeiro reiteram o seu compromisso de trabalhar em conjunto para a elucidação de todos os fatos envolvendo os homicídios da vereadora Marielle Franco e do motorista Anderson Pedro Gomes, ocorrido na noite da última quarta-feira, no Rio de Janeiro”, disse o texto.

A investigação aponta que os lotes de munições foram vendidos à Polícia Federal em 29 de dezembro, segundo o site G1, com notas fiscais número 220-821 e 220-822.

Morte no Centro do Rio

Aos 38 anos, Marielle Franco foi morta na noite de quarta-feira (14/3), no bairro Estácio, no Centro do Rio de Janeiro. O motorista Anderson Pedro M. Gomes, 39, que dirigia o veículo também morreu. Marielle voltava de um evento chamado “Jovens Negras Movendo Estruturas”, na Lapa.

Um carro emparelhou com o veículo de Marielle, quando foram efetuados os disparos. Uma assessora da vereadora, que também estava com os dois no carro, ficou ferida pelos estilhaços. Ela foi socorrida a um hospital da região e passou a madrugada prestando depoimento. A identificação dela não foi divulgada, por questões de segurança.

Subscreva nosso Canal do Youtube e tenha acesso a todos os vídeos. Curta nossa Página no Facebook e receba em primeira mão todas as postagens. Entre para o Grupo PROGRESSISTAS POR UM BRASIL SOBERANO e acompanhe as propostas para um país mais igualitário.

𝘊𝘰𝘮𝘦𝘯𝘵𝘦 𝘤𝘰𝘮 𝘴𝘦𝘶 𝘍𝘢𝘤𝘦𝘣𝘰𝘰𝘬 𝘰𝘶 𝘶𝘵𝘪𝘭𝘪𝘻𝘦 𝘢 𝘰𝘶𝘵𝘳𝘢 𝘴𝘦çã𝘰 𝘮𝘢𝘯𝘵𝘪𝘥𝘢 𝘢𝘣𝘢𝘪𝘹𝘰. 𝘖𝘴 𝘤𝘰𝘮𝘦𝘯𝘵á𝘳𝘪𝘰𝘴 𝘴ã𝘰 𝘥𝘦 𝘳𝘦𝘴𝘱𝘰𝘯𝘴𝘢𝘣𝘪𝘭𝘪𝘥𝘢𝘥𝘦 𝘥𝘦 𝘲𝘶𝘦𝘮 𝘰𝘴 𝘱𝘶𝘣𝘭𝘪𝘤𝘢 𝘦 𝘱𝘰𝘥𝘦𝘮 𝘯ã𝘰 𝘳𝘦𝘧𝘭𝘦𝘵𝘪𝘳 𝘢 𝘰𝘱𝘪𝘯𝘪ã𝘰 𝘥𝘰 𝘴𝘪𝘵𝘦. 𝘛𝘦𝘹𝘵𝘰𝘴 𝘷𝘶𝘭𝘨𝘢𝘳𝘦𝘴 𝘦 𝘥𝘪𝘴𝘤𝘶𝘳𝘴𝘰𝘴 𝘥𝘦 ó𝘥𝘪𝘰 𝘴ã𝘰 𝘥𝘦𝘴𝘯𝘦𝘤𝘦𝘴𝘴á𝘳𝘪𝘰𝘴 𝘱𝘢𝘳𝘢 𝘢 𝘤𝘰𝘯𝘴𝘵𝘳𝘶çã𝘰 𝘥𝘦 𝘶𝘮𝘢 𝘴𝘰𝘤𝘪𝘦𝘥𝘢𝘥𝘦 𝘤𝘪𝘷𝘪𝘭𝘪𝘻𝘢𝘥𝘢. 𝘕𝘦𝘴𝘵𝘦𝘴 𝘤𝘢𝘴𝘰𝘴, 𝘳𝘦𝘴𝘦𝘳𝘷𝘢𝘮𝘰-𝘯𝘰𝘴 𝘰 𝘥𝘪𝘳𝘦𝘪𝘵𝘰 𝘥𝘦 𝘣𝘢𝘯𝘪𝘳 𝘴𝘦𝘶𝘴 𝘱𝘦𝘳𝘧𝘪𝘴.
Anúncios