Moro vai se arrastar como barata na mão de Bolsonaro por um ano e meio por uma vaga no STF

13/05/2019 1 Por Redação Urbs Magna
Moro vai se arrastar como barata na mão de Bolsonaro por um ano e meio por uma vaga no STF

Na semana em que correu o risco de perder o Conselho de Controle de Atividades Financeiras (Coaf) – transferido do ministério da Justiça para o da Economia – e reclamou do constrangimento de ver a Polícia Federal com cada vez mais indícios de envolvimento da família do presidente com ilícitos administrativos e relações promíscuas com as milícias do Rio, Sergio Moro ganhou um prêmio de consolação: Bolsonaro disse ao apresentador Milton Neves que tem o compromisso de indicá-lo para uma vaga no STF (Supremo Tribunal Federal).

“A primeira que tiver, eu tenho esse compromisso com Moro, e se Deus quiser nós cumpriremos. Acho que a nação toda vai aplaudir um homem desse perfil lá dentro do STF”, disse o presidente.

Não é bem isso o que se viu nas redes sociais. Durante todo o domingo, ao contrário do que imaginou Bolsonaro, a web caiu matando: a hashtag #MoroVendido foi parar entre os assuntos mais comentados do Twitter, com quase sete mil mensagens nos Trending Topics.

O assunto também ganhou o noticiário internacional e foi parar no New York Times e em diversos outros jornais, todos ressaltando que Moro condenou Lula e o impediu de concorrer nas eleições contra o próprio Bolsonaro.

Até o início desta segunda, 13, Moro ainda não havia se manifestado sobre o conteúdo das declarações de Bolsonaro, inclusive porque sabe que a jornada até a tão desejada vaga demora um bom tempo e é bem difícil de se concretizar: a próxima janela no STF será aberta apenas em novembro do ano que vem com a aposentadoria do decano Celso de Mello.

Embora tenha assumido com status de superministro, ele sabe que ainda não apresentou resultados que justifiquem tamanha popularidade.

Pelo contrário, a realidade tem sido dura nesses primeiros meses: Moro vem sofrendo derrotas no governo e no legislativo e se mostrado fraco e sem expressão.

Um exemplo é o seu chamado pacote anticrime.

via DCM

Anúncios