Moro erra a competência ao processar presidente da OAB

09/08/2019 0 Por Redação Urbs Magna

O ministro da Justiça, Sérgio Moro, errou o endereçamento da representação que moveu contra o presidente nacional da Ordem dos Advogados do Brasil (OAB), Fernando Santa Cruz


O ministro da Justiça invocou o art. 145, parágrafo único, do Código Penal, que prevê rito especial quando o ofendido é o presidente da República e [Moro] “mediante representação do ofendido, no caso do inciso II [funcionário público] do mesmo artigo [remetendo ao art. 140, CP]”

O advogado Fernando Santa Cruz, pessoa física, não possui foro por função como as autoridades públicas. Portanto, a competência para processar o presidente da OAB nacional é a justiça federal distrital porque o suposto ofensor e o suposto ofendido residem em Brasília.

O ex-juiz da Lava Jato endereçou a ação contra Santa Cruz para a procuradora-geral Raquel Dodge, que já declinou a competência para o Ministério Público Federal do Distrito Federal.

A representação contra Santa Cruz é de natureza pública e não permite o perdão do ofendido, como ocorre na ação privada.

O presidente nacional da OAB se defendeu hoje à noite, por meio de nota, afirmando que não ofendeu a honra de Moro. Segundo Santa Cruz, “a crítica feita foi jurídica e institucional, por meio de uma analogia e não imputando qualquer crime ao ministro.”

Sobre a ação de Moro

O ministro da Justiça não gostou de ser classificado como “chefe de quadrilha” pelo presidente nacional da OAB, que, numa entrevista para a jornalista Monica Bergamo, da Folha, disse que Moro “usa o cargo, aniquila a independência da Polícia Federal e ainda banca o chefe de quadrilha ao dizer que sabe das conversas de autoridades que não são investigadas”.

Sérgio Moro jura que “não exarou qualquer determinação ou orientação à Polícia Federal para destruição do material ou mesmo acerca de sua destinação, certo de que compete, em princípio, ao juiz do processo ou ao próprio Poder Judiciário decidir sobre a questão, oportunamente.”

Clique aqui para ler a íntegra o pedido de Moro para que a PGR investigue Santa Cruz.

O professor Rogério Sanches Cunha, em vídeo, ensina como proceder:

via Blog do Esmael

SIGA Et Urbs Magna

FacebookTwitterInstagram
FAÇA UMA DOAÇÃO AO SITE
Clique na imagem e veja como você pode ajudar o Et Urbs Magna
𝘊𝘰𝘮𝘦𝘯𝘵𝘦 𝘤𝘰𝘮 𝘴𝘦𝘶 𝘍𝘢𝘤𝘦𝘣𝘰𝘰𝘬 𝘰𝘶 𝘶𝘵𝘪𝘭𝘪𝘻𝘦 𝘢 𝘰𝘶𝘵𝘳𝘢 𝘴𝘦çã𝘰 𝘮𝘢𝘯𝘵𝘪𝘥𝘢 𝘢𝘣𝘢𝘪𝘹𝘰. 𝘖𝘴 𝘤𝘰𝘮𝘦𝘯𝘵á𝘳𝘪𝘰𝘴 𝘴ã𝘰 𝘥𝘦 𝘳𝘦𝘴𝘱𝘰𝘯𝘴𝘢𝘣𝘪𝘭𝘪𝘥𝘢𝘥𝘦 𝘥𝘦 𝘲𝘶𝘦𝘮 𝘰𝘴 𝘱𝘶𝘣𝘭𝘪𝘤𝘢 𝘦 𝘱𝘰𝘥𝘦𝘮 𝘯ã𝘰 𝘳𝘦𝘧𝘭𝘦𝘵𝘪𝘳 𝘢 𝘰𝘱𝘪𝘯𝘪ã𝘰 𝘥𝘰 𝘴𝘪𝘵𝘦. 𝘛𝘦𝘹𝘵𝘰𝘴 𝘷𝘶𝘭𝘨𝘢𝘳𝘦𝘴 𝘦 𝘥𝘪𝘴𝘤𝘶𝘳𝘴𝘰𝘴 𝘥𝘦 ó𝘥𝘪𝘰 𝘴ã𝘰 𝘥𝘦𝘴𝘯𝘦𝘤𝘦𝘴𝘴á𝘳𝘪𝘰𝘴 𝘱𝘢𝘳𝘢 𝘢 𝘤𝘰𝘯𝘴𝘵𝘳𝘶çã𝘰 𝘥𝘦 𝘶𝘮𝘢 𝘴𝘰𝘤𝘪𝘦𝘥𝘢𝘥𝘦 𝘤𝘪𝘷𝘪𝘭𝘪𝘻𝘢𝘥𝘢. 𝘕𝘦𝘴𝘵𝘦𝘴 𝘤𝘢𝘴𝘰𝘴, 𝘳𝘦𝘴𝘦𝘳𝘷𝘢𝘮𝘰-𝘯𝘰𝘴 𝘰 𝘥𝘪𝘳𝘦𝘪𝘵𝘰 𝘥𝘦 𝘣𝘢𝘯𝘪𝘳 𝘴𝘦𝘶𝘴 𝘱𝘦𝘳𝘧𝘪𝘴.