Miriam Leitão: Bolsonaro é um doente desumano, que tem compulsão por agredir vítimas de ditaduras



A jornalista Miriam Leitão, colunista do Globo, criticou duramente o ataque vil que Jair Bolsonaro perpetrou contra a ex-presidente chilena Michelle Bachelet, ao exaltar o assassinato de seu pai, que foi torturado e morto pela ditadura de Augusto Pinochet. “É patológica a compulsão de Bolsonaro pelas ditaduras e sua admiração ilimitada pelos regimes tirânicos, como o de Pinochet. É doentio seu prazer em ferir pessoas atingidas pelos crimes das ditaduras latino-americanas, como fez com o presidente da OAB, Felipe Santa Cruz”, disse ela, em sua coluna.



“Mentir sobre o passado do Chile, ou do Brasil, na política ou na economia, não alterará a história real. Tentar apropriar para uma ideologia de extrema-direita os símbolos nacionais não dará certo agora, como não deu no passado. Os amigos e auxiliares que tenham qualquer influência sobre ele deveriam aconselhá-lo. O que ele falou sobre Michelle Bachelet jamais poderia ter sido dito. É sobretudo desumano”, afirma ainda Miriam.


Comente

2 comentários em “Miriam Leitão: Bolsonaro é um doente desumano, que tem compulsão por agredir vítimas de ditaduras”

  1. Mel Fernandes

    Agora que é contra uma autoridade internacional virou inaceitável, né? Quando ele enalteceu o facínora do Ustra ao vivo e em rede nacional chamando de pesadelo de Dilma Russef não teve essa comoção. Taí o resultado. Deram corda pra esse psicopata. Hoje ele é presidente da maior república da América Latina.

  2. Socorro Araújo

    Estamos à mercê de um tirano insano que se não for interditado nos fará retroceder a tempos sombrios que existem na mente desse mentecapto e seus asseclas.

Comente

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.