Militar que Fachin excluiu da comissão do TSE por disseminar fake news não será substituído

O ministro descredenciou o coronel que publicou informações falsas sobre as urnas eletrônicas nas redes sociais

O EB (Exército Brasileiro) afirmou que não indicará substituto para a vaga do Coronel Ricardo Sant’Ana do grupo de militares que inspecionam os códigos-fonte das urnas. Edson Fachin, presidente do TSE (Tribunal Superior Eleitoral), excluiu o militar nesta semana por ele ter publicado nas redes sociais informações falsas sobre as urnas eletrônicas, a fim de ‘desacreditar o sistema eleitoral brasileiro‘, conforme disse o ministro. Por isso, o EB criticou o TSE e disse que a decisão da corte foi tomada sem pedidos de esclarecimentos, “baseado em apuração da imprensa e de forma unilateral, sem qualquer pedido de esclarecimento ou consulta ao Ministério da Defesa ou ao Exército Brasileiro“.

O Coronel excluído ainda foi defendido pelos militares, que afirmaram que ele foi selecionado para a comissão por “sua inequívoca capacitação técnico-científica e de seu desempenho profissional”, conforme disseram a Fachin. “Todavia, após tomar conhecimento das notícias veiculadas, já no final da semana passada, o Exército, como usualmente faz nesses casos, buscou esclarecer os fatos antes de tomar quaisquer providências, eventualmente precipitadas ou infundadas”, afirmaram ainda os militares, de acordo com transcrição no portal de notícias Correio Braziliense.

A Força ainda garantiu que o trabalho do grupo de militares que participam da fiscalização do processo eleitoral é técnica e isenta de interferência de posições políticas pessoais. Uma nota foi divulgada no site do EB dizendo também que “o trabalho da equipe das Forças Armadas, particularmente dos representantes do Exército Brasileiro, é eminentemente técnico e realizado de forma coletiva por seus integrantes, além de ser estritamente institucional, como se supõe que devam ser os trabalhos de todas as demais equipes participantes do processo”.

Siga Urbs Magna no Google Notícias
Comente

1 comentário em “Militar que Fachin excluiu da comissão do TSE por disseminar fake news não será substituído”

Comente

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.