Milícias crescem no Rio e boicotam empresas de telefonia, gás e internet

05/01/2020 0 Por Redação Urbs Magna
Compartilhe

Mensagem viral nas redes sociais afirmam que cariocas estão fugindo para São Paulo e que a ‘cidade maravilhosa’ acabou

Uma mensagem com um longo texto está viralizando nas redes sociais, especialmente pelo WhatsApp, relacionando o poder das milícias, na ‘cidade maravilhosa’ do Rio de Janeiro, com o crescimento de atividades ilícitas onde são boicotados serviços de importantes empresas de telefonia, gás e internet.

As milícias vêm expandindo seus domínios no Rio em virtude das “parcerias” com o tráfico“, afirma o início do texto compartilhado.

A mensagem continua: “Para se ter uma noção de como é grave, vários bairros estão tendo problemas na distribuição de serviços tais como TV, Internet, luz e telefone“.

O autor não identificado no texto diz que “o Rio de Janeiro está praticamente acabado. Cariocas estão fugindo para São Paulo e o mercado imobiliário já registra um ‘boom’, que não teria outra explicação‘.

A mensagem relaciona quais são estas empresas que estão sendo afetadas pelo suposto domínio exercido sobre elas. Leia a seguir:

OI – A OI teve toda a sua estrutura destruída por bombas e tiros nos bairros de Cavalcanti e engenheiro Leal, com isso os seus serviços foram cancelados, atingindo 25 mil pessoas, o tráfico está obrigando todos os moradores a migrarem para uma internet do tráfico, com velocidades inferiores e péssimos serviços. A Oi também já enfrenta problemas em bairros como Santa Cruz, Cascadura, Piedade, Quintino, Madureira, Pilares, Cachambi, Jacaré, partes do Méier e Lins, com sabotagens, ataques e até mesmo proibições de novos cabeamentos. Segundos fontes próximas ouvidas a OI deve deixar de atender 1.5 milhões de pessoas por ordens e ataques da Milícia e tráfico. 

Vivo Fibra – Outra empresa que vem enfrentando grandes problemas em sua expansão é a Vivo Fibra, que já apresenta um grande números de ataques a sua rede de fibra ótica na cidade do Rio. Bairros como Vila Isabel, Engenho Novo, Riachuelo, Engenho de Dentro, já são considerados territórios perdidos, em virtude do grande número de Vandalismo, tudo a mando do Tráfico e da Milícia. 

Tim Live – A Tim live é outra que só consegue operar em bairros nobres, vem sofrendo ataques por parte de milícia e tráfico e já perdeu 15% do território, onde possui cabeamentos de fibra. 

NET – Já a NET cancelou novos investimentos no Rio e mira agora em outros estados, já perdeu ou foi expulsa de 20% do território onde possui cabeamentos em bairros do Rio. 

Light – A empresa responsável pela distribuição da energia do município, perdeu 35% de suas reses para a milícia, isso mesmo que você leu, bairros como Recreio, Santa Cruz, Campo Grande (Sub-bairros), Cascadura, Madureira, Cavalcanti, Engenheiro Leal, Tomás Coelho, Pilares e mais 35 bairros ( em sua totalidades ou parcialmente), a Light teve sua estrutura toda tomada, as cobranças são feitos por empresas ligadas a milícia, em dinheiro vivo e quem não paga sofre sessões de torturas e espancamentos. 

CEG – A CEG, gás natural fenosa, vem enfrentando problemas em virtude de pedágios que o tráfico ou milícias, cobram para que reparos sejam feitos em sua rede de distribuição de gás, o problema já afeta 2 milhões de pessoas. Bairros inteiros estão sem gás encanado, para obrigar os moradores a comprarem botijões de gás da Milícia ou tráfico por até 120 reais. 

Antenas de telefonia – Fontes fidedignas e próximas a mim, afirmaram que até as torres de telefonia móvel estão sofrendo ataques, o motivo seria um alto pedágio de 30 mil por semana, que cada operadora está tendo que pagar a traficantes ou milicianos, em municípios da baixada e bairros do subúrbio carioca. 

Interior de São Paulo – Cidades do interior de SP estão tendo um boom do mercado imobiliário, tudo em virtude de cariocas que estão fugindo do caos e da guerra do Rio para viver tranquilamente em cidades como São José dos Campos, Taubaté, Tremembé entre outras. 

O Rio de Janeiro acabou”, pontua o autor do texto.

Comente com o Face ou utilize a outra seção abaixo. Os comentários são de responsabilidade do autor e não têm vínculo com a publicação. Mantenha um bom nível de discussão, do contrário reservamo-nos o direito de banir seus perfis.
Compartilhe