México é próxima parada de LULA após convite para posse em Honduras da esquerdista Xiomara Castro

12/01/2022 0 Por Redação Urbs Magna
México é próxima parada de LULA após convite para posse em Honduras da esquerdista Xiomara Castro

O presidente do México, ANLO, e Luiz Inácio LULA da Silva. O líder do país da América do Norte convidou há sete meses o ex-presidente para uma visita, mas sua agenda já estava programada com líderes da Europa e Argentina. Agora, LULA irá conhecer a experiência mexicana no enfrentamento ao tráfico, além de se aproximar de uma das principais figuras da esquerda no continente | Sobreposição de imagens


PROGRESSISTAS POR UM BRASIL SOBERANO

No início de fevereiro, o ex-presidente tem mais um compromisso internacional, desta vez com ANLO, mas a assessoria do petista agradeceu o convite da esposa do ex-presidente hondurenho, Manuel Zelaya

O México é a próxima parada internacional do ex-presidente Luiz Inácio LULA da Silva, prevista para o início de fevereiro, atendendo a um pedido de visita de ANLO (Andrés Manuel López Obardor), presidente do país da América do Norte, após outro convite, que foi recusado pela assessoria do petista, para a posse, em Honduras, da esquerdista Xiomara Castro, que é esposa do ex-presidente Manuel Zelaya, que exerceu o mandato entre janeiro de 2006 e junho de 2009.

De acordo com a publicação da Folha de São Paulo, LULA quer se reaproximar de líderes estrangeiros e projetar sua pré-candidatura. O ex-presidente já esteve na Europa e também na Argentina, mas quanto à viagem aos EUA, o jornal afirma que “por enquanto não há nada previsto”, apesar de ter sido noticiado, inclusive com um convite para palestra na Universidade de Columbia, em Nova Iorque.

Em Honduras, era do desejo de Xiomara Castro, presidente eleita, a presença de LULA, mas o ex-presidente declinou do convite por decisão de sua assessoria, que argumentou que ele não foi a nenhuma posse estrangeira como ex-presidente.

O presidente Jair Bolsonaro também foi convidado para a posse de Xiomara, mas o Itamaraty justificou a ausência devido à relação dos hondurenhos com LULA e Dilma Rousseff, que também foi convidada, mas, segundo a assessoria, não poderá comparecer.

Comente