Mandetta cessa carreatas de ‘efeito manada’ e diz que a elite, que trouxe coronavírus ao Brasil, tem que ir pra casa

28/03/2020 0 Por Redação Urbs Magna

O Ministro da Saúde, luiz Henrique Mandetta, disse que “os que fazem carreata vão ficar em casa daqui a duas semanas‘, pois o coronavírus entrou no Brasil por meio da elite e é preciso preservar o sistema de saúde brasileiro neste momento.

Carreata de empresários em Curitiba pedindo fim da quarentena / Mandetta, Ministro da Saúde – FOTOMONTAGEM ET URBS MAGNA

Mandetta fez um discurso firme onde defendeu o isolamento social como única forma de deter o avanço do sars-cov-2. Disse que carreatas são uma inconsistência que desequilibra o efeito da quarentena: “Fazer movimento assimétrico de efeito manada… Daqui a duas semanas, três semanas, os que falam ‘vamos fazer carreata’, vão ser os mesmos que ficarão em casa. Não é hora“.

Ainda não dá para falar ‘libera todo mundo para sair’ porque a gente não está conseguindo chegar com o equipamento como a gente precisa. Se sair andando todo mundo de uma vez, vai faltar (atendimento) para rico e pobre”, disse o ministro.

O inconsequente presidente Jair Bolsonaro classificou o movimento de carreatas como “fantástico”. Disse que governadores e prefeitos deveriam prestar atenção, e isso confunde o povo que fica sem compreender a gravidade do surto pandêmico do covid-19.

Mandetta continuou: “Essa doença entrou pela elite do Brasil, elite econômica. Aqui em Brasília, os casos são quase todos no Plano Piloto e no Lago Sul, não chegou na periferia do sistema. Como no Rio de Janeiro, a Barra da Tijuca, o Leblon, ainda não chegou, está começando a entrar nas comunidades“.

O ministro disse que o vírus já contaminou mais de 3,9 mil brasileiros e matou 114. Mandetta falou da imporotância da quarentena para salvar a vida dos médicos também: “Se médicos e enfermeiros se contaminarem, não haverá pessoas para usar os equipamentos e atender as pessoas doentes“.

Agora vai ter de poupar o sistema de saúde. Não é hora de sobrecarregar o sistema, seja em nome do que for. É hora de aguardar, vamos ver como essa semana vai se comportar e nós vamos ter nesta semana a discussão dentro da saúde para achar os parâmetros. Ainda não dá para falar ‘libera todo mundo para sair’ porque a gente não está conseguindo chegar com o equipamento como a gente precisa. Se sair andando todo mundo de uma vez, vai faltar (atendimento) para rico e pobre”, disse o ministro.

Sobre CLOROQUINA, Mandetta desmente Bolsonaro

Cloroquina não é panaceia. Não é o remédio que veio para salvar a humanidade“, disse o ministro.

Se sairmos com a caixa desse medicamento falando ‘pode tomar’, nós podemos ter mais mortes por mau uso de medicamento do que pela própria virose. Então, não façam isso. Esse medicamento tem a sua indicação para lúpus, artrite rematóide e malária, claramente colocado ali“, alertou ministro.

Comente com o Face ou utilize a outra seção abaixo. Os comentários são de responsabilidade do autor e não têm vínculo com a publicação. Mantenha um bom nível de discussão, do contrário reservamo-nos o direito de banir seus perfis.