LULA tem encontro marcado com Rodrigo Pacheco e preocupa Bolsonaro

05/05/2021 0 Por Redação Urbs Magna

Ex-presidente é a grande preocupação, em 2022, para o atual chefe do Executivo, que pediu hoje, no Rio, que aliados “não baixem a guarda para a esquerda”

Nesta quinta-feira (6), Lula irá se encontrar com o presidente do Senado Federal, Rodrigo Pacheco (DEM-MG). O encontro foi solicitado pela bancada do PT no Senado, com quem o ex-presidente Lula se reuniu na noite dessa terça-feira (4).

A assessoria de imprensa do senador Rodrigo Pacheco informou que a reunião trata-se de uma “visita institucional, sem pauta pré-marcada”, diz Tácio Lorran, jornalista do Metrópoles, em matéria que a edição intitulou ‘Lula recebe vice-presidente da Câmara e discute auxílio de R$ 600‘.

O jornalista Robson Bonin, da Veja, afirmou que “se Jair Bolsonaro e seus apoiadores já olhavam com desconfiança para o potencial presidenciável Pacheco, a abertura de conversa com Lula deve contribuir para o clima de distanciamento entre Congresso e Planalto“. “Pacheco, claro, tende a explicar o encontro como o dever institucional de receber um ex-presidente da República para uma conversa, sendo ele chefe de poder“, diz o colunista da revista.

Sobre o encontro de Lula hoje, de acordo com o texto do Metrópoles, o vice-presidente da Câmara dos Deputados, Marcelo Ramos (PL-AM), esteve com o ex-presidente nesta quarta-feira (5) para conversar sobre a viabilidade de elevar o valor do auxílio emergencial.

O benefício teve valor e abrangência reduzidos neste ano, pelo governo federal, sob a justificativa de não haver fonte de financiamento que não ultrapasse o teto de gastos e, assim, não decepcionar o mercado financeiro.

Lula está em Brasília, onde se reúne com parlamentares, lideranças políticas e embaixadores para discutir “vacina, fome” e formar alianças para as eleições em 2022. A movimentação do ex-presidente causa preocupação em Bolsonaro.

De acordo com Lola Ferreira, do Uol, o presidente se reuniu na tarde de hoje com o governador do Rio de Janeiro, Cláudio Castro (PSC), e deputados estaduais aliados, em encontro marcado às pressas como resposta à ideia de Lula criar frente ampla na disputa do governo do Rio de Janeiro.

Bolsonaro pediu que os aliados “não baixem a guarda para a esquerda” no Rio, estado considerado berço do bolsonarismo.


Siga no Telegram

Comente