Líder do MBL e funcionários do governo de São Paulo são denunciados pelo MP

26/10/2020 0 Por Redação Urbs Magna

Renan Santos teria beneficiado seu Movimento ao indicar empresário que operou esquema de fraude em licitações envolvendo a Fipe e a Imesp

Renan Santos, um dos líderes do MBL (Movimento Brasil Livre), acusado de tráfico de influência, o empresário Alessander Mônaco, apontado como operador do MBL, além de três funcionários do governo paulista, foram denunciados, nesta segunda (26), pelo Ministério Público de São Paulo por suposta participação em esquema de fraude envolvendo verbas do governo do Estado e que teria beneficiado o movimento político.

A denúncia é a primeira outras acusações, mas esta se refere a verbas da Imesp (Imprensa Oficial do Estado de São Paulo). A acusação é de fraude em licitações, corrupção passiva e lavagem de dinheiro, diz a reportagem de Daniel Haidar, na Veja, revelando que Mônaco ainda é investigado em mais dois inquéritos que também apuram desvios de verbas estaduais.

Segundo o MP-SP, Mônaco fraudou uma contratação de 8,9 milhões de reais em junho do ano passado, em conluio com funcionários da Fundação Instituto de Pesquisas Econômicas (Fipe). Para a Promotoria, parte desse montante foi desviado para ele e o MBL. O contrato da Fipe com a Imprensa Oficial era parte de uma retribuição de negócios que Mônaco tinha feito com a fundação entre os anos de 2016 e 2019, diz Haidar acrescentando que o operador faturou 2,8 milhões de reais da Fipe.

O Ministério Público alega que Renan Santos articulou a nomeação de Mônaco para o cargo de gerente de tecnologia da informação do Imesp, que repassou recursos obtidos no esquema para o MBL, fazendo doações durante “lives” do grupo no YouTube.

“As doações efetuadas mensalmente por ele ao MBL somavam valores que seriam, em tese, muito além da sua “suposta” capacidade econômico, financeira, decorrente somente daquele emprego público”, afirma o promotor Marcelo Mendroni.

O Ministério Público ainda investiga se o esquema se alimentou de trocas de favores com políticos. Em um bloco de anotações de Mônaco, havia anotações de nomes de políticos, mas a investigação ainda busca identificar se eles foram beneficiados pelo esquema ou se contribuíram para os desvios de alguma forma.

Telegram: Acesse e SIGA NOSSO CANAL

Comente com o Face ou utilize a outra seção abaixo. Os comentários são de responsabilidade do autor e não têm vínculo com a publicação. Mantenha um bom nível de discussão, do contrário reservamo-nos o direito de banir seus perfis.