Inscrições com Kassio: Nomeação de 75 juízes por Bolsonaro causa temor de aparelhamento

O ministro do Supremo Tribunal Federal, Kassio Nunes Marques, e o presidente do Brasil, Jair Bolsonaro | Sobreposição de imagens


PROGRESSISTAS POR UM BRASIL SOBERANO

Romaria de candidatos à cúpula do Judiciário já começou no gabinete do indicado do presidente que, segundo ele, representa “seus 10% dentro do Supremo”

O presidente Jair Bolsonaro (sem partido) vai dar em 2022, a maior canetada da história recente do Judiciário brasileiro, quando nomeará 75 desembargadores nos seis tribunais regionais federais do país, conforme divulgou a jornalista Mônica Bergamo, na Folha de S. Paulo, o que, segundo ela, já causa temor, a setores do meio jurídico, de aparelhamento da cúpula do Judiciário pelo bolsonarismo.

O texto aponta a ocorrência de uma “avalanche bolsonarista nas cortes” devido ao “aumento de quase 50% das vagas [57] em cinco tribunais aprovado pela Câmara”, bem como à “criação de uma nova corte, o Tribunal Regional Federal da 6ª Região, em Minas Gerais”, que “terá 18 novos juízes”, elevando de “um total de 139 desembargadores federais” para “214.

Bergamo mostra que o gabinete do indicado de Bolsonaro no STF (Supremo Tribunal Federal), Kassio Nunes Marques, sobre quem o presidente recentemente afirmou a um desses veículos bolsonaristas que representa seus “10% dentro do Supremo“, vem recebendo romaria de futuros candidatos.

O Tribunal Federal da 1ª Região passará de 27 para 43 desembargadores; o da 2ª Região, de 27 para 35; o da 3ª Região, de 43 para 55; o da 4ª Região, de 27 para 39; o da 5ª Região, de 15 para 24. E o de Minas Gerais terá nomeados novos 18 desembargadores.

Comente

Comente

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.