Inquérito das fake news para cassação da chapa Bolsonaro-Mourão é inconformismo com derrota, diz defesa

05/06/2020 0 Por Redação Urbs Magna

Et Urbs Magna – A defesa do presidente Jair Bolsonaro, através da advogada Karina Kufa, pediu que o TSE não inclua o inquérito das fake news do STF, conforme solicitado pelo PT, nos trâmites dos processos da Corte Eleitoral que buscam pela cassação da chapa Bolsonaro/Mourão alegando que o pedido dos petistas parte do “inconformismo pela derrota no pleito de 2018“.

Junte-se a 37.050 outros assinantes

O julgamento de duas das oito ações questionando eleição passada ocorrerá no plenário do Tribunal Superior Eleitoral na próxima terça-feira (9), data em que serão analisados supostos ataques cibernéticos em redes sociais, conforme publicou o UOL com informações obtidas pela assessoria de imprensa do órgão.

Kufa disse que “em nada corrobora com esta ação a investigação capitaneada pelo Colendo Supremo Tribunal Federal sobre notícias falsas direcionadas à figura dos insignes Ministros daquela Egrégia Corte“, ao defender a rejeição do pedido.

O corregedor-geral da Justiça Eleitoral, Og Fernandes, também pediu a manifestação da Procuradoria-Geral Eleitoral para depois decidir se aceita ou não o pedido.

Na semana passada, a Polícia Federal iniciou uma operação de buscas e apreensões em endereços de empresários, blogueiros e pessoas ligadas ao movimento bolsonarista denunciadas por produção de fake news em favor do presidente Jair Bolsonaro.

Os alvos dos mandados foram os empresários Luciano Hang e Edgard Corona, o ex-deputado federal Roberto Jefferson, os blogueiros Allan dos Santos, Sara Winter e Winston Lima, além de Edson Pires Salomão, Enzo Leonardo Suzi, Marcos Bellizia, Otavio Fakhoury, Rafael Moreno, Rodrigo Barbosa Ribeiro, Paulo Gonçalves Bezerra, Reynaldo Bianchi Júnior, Bernardo Kuster, Eduardo Fabris Portella e Marcelo Stachin.

Telegram: Acesse e SIGA NOSSO CANAL