Gravações de Bolsonaro sobre conluio com milicianos pode derrubá-lo nos próximos dias

20/12/2019 0 Por Dino Barsa
Gravações de Bolsonaro sobre conluio com milicianos pode derrubá-lo nos próximos dias

Segundo o presidente, “a próxima encrenca” será a revelação de gravações de dois milicianos que o envolvem, “em vários diálogos falando que no passado eu participava das milícias, pegava dinheiro das milícias, e agora, presidente, não participo mais”


Em entrevista à revista Veja, Jair Bolsonaro admitiu que em breve surgirão novas gravações o envolvedo com milicianos:

Pegaram dois milicianos, sei lá quem, conversando e a Polícia Civil gravando. Tem vários diálogos falando que no passado eu participava das milícias, pegava dinheiro das milícias, e agora, presidente, não participo mais — um papo de vagabundo”, disse Bolsonaro.

Este discurso de Bolsonaro já é manjado no meio jornalístico. É uma tentativa de criar uma ‘vacina’ (termo que estamos usando em nosso métier) antecipando-se para dominar uma crise futura.

O presidente insistiu que está sendo perseguido por Wilson Witzel (PSC), Governador do Estado do Rio de Janeiro, numa “armação‘ para se promover visando a disputa presidencial em 2022.

Inexplicavelmente, Bolsonaro afirmou que “o governador botou na cabeça que vai ser presidente e tem de me destruir. Depois da história do porteiro e das buscas na casa da minha ex-mulher, ele está preparando uma nova armação“.

Recebo qualquer um dos governadores na hora que eles quiserem. O Witzel não. Se ele quiser falar comigo, vai ter de protocolar o pedido de audiência e dizer antes qual é o assunto”, completou o presidente.

Anúncios