Glenn Greenwald explica por que publicou documentos sigilosos da operação spoofing

De acordo com o jornalista, um setor da Polícia Federal tem manipulado o inquérito que apura as invasões de celurares de autoridades com o objetivo de emplacar uma versão política e influenciar o debate eleitoral de 2022 contra o PT

“O site carta capital obteve de uma fonte anônima um arquivo com documentos sigilosos referente às investigações da Operação Spoofing, que demonstram uma série de práticas desonestas e ilegais por parte de um setor da Polícia Federal aparelhado pelo bolsonarismo”, escreve o jornalista Glenn Greenwald. Esta ‘divisão’ da instituição “tem manipulado o inquérito que apura as invasões ao celulares de autoridades com o objetivo de emplacar uma versão política e influenciar o debate eleitoral de 2022 empregando as mesmas técnicas lavajatistas de intimidação e ameaça para forçar os réus a fazer uma delação premiada que permita fabricar uma ligação entre os hackers e o partido dos trabalhadores”.

“Como os documentos deixam claro, as evidências para sustentar essa tese são extremamente frágeis A análise dos documentos e do que dizem as partes envolvidas deixa claro que o objetivo não é de fato obter uma condenação ou esclarecer definitivamente o caso que já foi resolvido, mas manter o inquérito aberto indefinidamente e envolver nomes politicamente relevantes na investigação”.

“Essas práticas bastante similares às empregadas na operação lava-jato ou constituiem abuso grave do poder de investigação investido nas autoridades policiais”.

Comente

Comente

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.