Gilmar: ‘Exército não é milícia’. Interferência das FA na Corte ‘é coisa de lunáticos’

02/06/2020 0 Por Redação Urbs Magna

Et Urbs Magna – Em entrevista para a GloboNews nesta terça-feira (02), o Ministro do STF (Supremo Tribunal Federal), Gilmar Mendes, defendeu o papel constitucional das Forças Armadas do Brasil e afirmou em rede social que ‘o Exército não é milícia‘.

Junte-se a 37.016 outros assinantes

Eu pergunto: Em que país do mundo as Forças Armadas são elevadas à condição de intérprete da Constituição? Aonde está essa jaboticaba que estão lendo no Artigo 142?”, inicia, com essas argumentações, o ministro.

“Veja que nós temos dialogado e as FA têm cumprido um papel importantíssimo naquilo que está previsto no Artigo 142, que é a manutenção da Lei e da Ordem por requerimento de quaisquer dos Poderes. Veja toda a ação que as FA têm feito nos Estados em função do quadro caótico da Segurança Pública”, continuou Gilmar Mendes.

“Os próprios representantes das FA têm se dirigido ao Supremo para defender, por exemplo, medidas que protejam os agentes, que participam dessas ações, nos casos de GLO [Garantia da Lei e da Ordem], o fortalecimento da competência da Justiça Militar. Mas tudo isso dentro dos marcos institucionais”, relatou Mendes a jornalistas da Globo News.

De acordo com o site Defesa.gov, “as missões de GLO ocorrem nos casos em que há o esgotamento das forças tradicionais de segurança pública, em graves situações de perturbação da ordem e são reguladas pela Constituição Federal, em seu artigo 142, pela Lei Complementar 97, de 1999, e pelo Decreto 3897, de 2001, suas operações concedem provisoriamente aos militares a faculdade de atuar com poder de polícia até o restabelecimento da normalidade”.

Mendes pontuou dizendo que “pretender que a Constituição seja interpretada pelas FA ou que decisões do Supremo sejam corrigidas por uma interpretação das FA me parece alguma coisa fora de qualquer esquadro. Realmente me parece uma viagem de lunáticos

O Ministro anexou o vídeo com sua fala à reportagem em postagem no seu perfil social do microblog Twitter na tarde de hoje acrescentando a seguinte mensagem de texto:

Tenho reiterado que as Forças Armadas são instituições permanentes que devem ser compreendidas na sua acepção republicana. É incompatível com a Constituição de 1988 a ideia de que as forças armadas podem fechar o STF ou o Congresso. O Exército não é milícia“.

Ao final de sua mensagem, o magistrado postou a hashtag #DitaduraNuncaMais.

Leia e assista:

Esta imagem possuí um atributo alt vazio; O nome do arquivo é ET-URBS-MAGNA-LARANJA-um2-1024x1024.png
TELEGRAM:
Acesse e siga NOSSO CANAL
Receba nossas Newslleters gratuitamente
Não tem o aplicativo? ACESSE AQUI e Saiba por que o TELEGRAM é 10 vezes melhor que o WHATSAPP

𝘊𝘰𝘮𝘦𝘯𝘵𝘦 𝘤𝘰𝘮 𝘴𝘦𝘶 𝘍𝘢𝘤𝘦𝘣𝘰𝘰𝘬 𝘰𝘶 𝘶𝘵𝘪𝘭𝘪𝘻𝘦 𝘢 𝘰𝘶𝘵𝘳𝘢 𝘴𝘦çã𝘰 𝘮𝘢𝘯𝘵𝘪𝘥𝘢 𝘢𝘣𝘢𝘪𝘹𝘰. 𝘖𝘴 𝘤𝘰𝘮𝘦𝘯𝘵á𝘳𝘪𝘰𝘴 𝘴ã𝘰 𝘥𝘦 𝘳𝘦𝘴𝘱𝘰𝘯𝘴𝘢𝘣𝘪𝘭𝘪𝘥𝘢𝘥𝘦 𝘥𝘦 𝘲𝘶𝘦𝘮 𝘰𝘴 𝘱𝘶𝘣𝘭𝘪𝘤𝘢 𝘦 𝘱𝘰𝘥𝘦𝘮 𝘯ã𝘰 𝘳𝘦𝘧𝘭𝘦𝘵𝘪𝘳 𝘢 𝘰𝘱𝘪𝘯𝘪ã𝘰 𝘥𝘰 𝘴𝘪𝘵𝘦. 𝘛𝘦𝘹𝘵𝘰𝘴 𝘷𝘶𝘭𝘨𝘢𝘳𝘦𝘴 𝘦 𝘥𝘪𝘴𝘤𝘶𝘳𝘴𝘰𝘴 𝘥𝘦 ó𝘥𝘪𝘰 𝘴ã𝘰 𝘥𝘦𝘴𝘯𝘦𝘤𝘦𝘴𝘴á𝘳𝘪𝘰𝘴 𝘱𝘢𝘳𝘢 𝘢 𝘤𝘰𝘯𝘴𝘵𝘳𝘶çã𝘰 𝘥𝘦 𝘶𝘮𝘢 𝘴𝘰𝘤𝘪𝘦𝘥𝘢𝘥𝘦 𝘤𝘪𝘷𝘪𝘭𝘪𝘻𝘢𝘥𝘢. 𝘕𝘦𝘴𝘵𝘦𝘴 𝘤𝘢𝘴𝘰𝘴, 𝘳𝘦𝘴𝘦𝘳𝘷𝘢𝘮𝘰-𝘯𝘰𝘴 𝘰 𝘥𝘪𝘳𝘦𝘪𝘵𝘰 𝘥𝘦 𝘣𝘢𝘯𝘪𝘳 𝘴𝘦𝘶𝘴 𝘱𝘦𝘳𝘧𝘪𝘴.