Gil e Chico falam de ‘tontos que blefam com a morte’ em ‘Sob Pressão’

18/10/2020 0 Por Redação Urbs Magna
Compartilhe

Mensagem crítica dos artistas a Bolsonaro e seguidores está implícita no tributo aos profissionais de Saúde no combate ao coronavírus

Em “Sob Pressão”, Gilberto Gil e Chico Buarque de Holanda musicalizam letra de Ruy Guerra denunciando “jogo de verdades e mentiras” implicitando o nome de Jair Bolsonaro como um dos principais responsáveis pelo avanço do coronavírus.

Ao mesmo tempo em que os artistas homenageiam os profissionais da saúde no enfrentamento da covid-19, a referência ao presidente e aos seus seguidores que ainda desacreditam da pandemia é visível em duas frases: “tontos que blefam com a morte” e “a voz de um bardo a bordo da alvorada“.

Lançada na última quarta (14), a música, que tem letra de Ruy Guerra, fala no “trem da pandemia” ainda fora de controle em um comovente tributo às equipes médicas. A letra também menciona um “jogo duplo de azar e sorte”.

As imagens do vídeo são fortes. As críticas à pouca seriedade com que a doença é tratada pelo governo enaltecem o trabalho dos profissionais da saúde.

A mensagem que fica é a de que a pandemia não acabou e que apenas uma parcela do povo é motivada por Bolsonaro. O pensamento do presidente sobre a doença, desde a minimização inicial quando do surgimento na pandemia até a data mais recente, faz algumas pessoas se acostumarem com a doença no seu dia a dia.

Hoje, domingo (18) o Brasil registra 153.730 óbitos de pacientes e o número de infectados desde o primeiro caso já alcança 5.224.821 diagnósticos, de acordo com consórcio de veículos de imprensa atualizado às 13h.

Leia a letra de “Sob Pressão”

“Falta de ar nos gemidos dos “ais”
A febre, seus fantasmas, seus terrores
Sem pressa, passo a passo, mais e mais
A besta avança pelos corredores

O médico caminha com cautela
Estuda as artimanhas do inimigo
A enfermeira brava vence o medo
Pouco lhe importa a extensão do perigo

O mundo está azarando ao Deus dará
O povo não se entrega, é cabra cega
É lá e cá sem lei, sem mais aviso
Só sei que é preciso acreditar

Fazemos todos parte desta história
Mesmo que os tontos blefem com a morte
Num jogo de verdades e mentiras
Um jogo duplo de azar e sorte

A ciência abre as suas asas
A esperança à frente como um guia
Com São João na reza, a pajelança
A intervenção de Xangô na magia

Neste canto aqui da poesia
Casa da fantasia e da razão
Abre-se a porta e entra um novo dia
Pela janela adentro um coração

A voz de um bardo a bordo da alvorada
O sol da aurora secando o pulmão
Ano passado se eu morri na estrada
Vai que esse ano não morro mais não

É pra montar no lombo da toada
Desembarcar do trem da pandemia
É pra fazer da rima arredondada
O rompante final de uma alegria

Vamos em frente amigo, vamos embora
Vamos tomar aquela talagada
Vamos cantar que a vida e só agora
E sem cantar, amigo, a vida é nada”

Ouça no vídeo abaixo:

Título: Sob pressão
Artistas: Gilberto Gil e Chico Buarque
Compositores: Gilberto Gil e Ruy Guerra
Edição: Gegê Produções Artísticas:

Telegram: Acesse e SIGA NOSSO CANAL

Comente com o Face ou utilize a outra seção abaixo. Os comentários são de responsabilidade do autor e não têm vínculo com a publicação. Mantenha um bom nível de discussão, do contrário reservamo-nos o direito de banir seus perfis.
Compartilhe