Folha se rende à volta de LULA ao Planalto ao divulgar Datafolha da véspera do dia da eleição

“Com alta rejeição”, Bolsonaro “é o primeiro da era das reeleições a não chegar à frente no dia do primeiro turno, e luta para ir ao segundo”.

LULA (PT) tem chance de vencer a eleição neste domingo (2/10), com 50% dos votos válidos ante 36% de Jair Bolsonaro (PL). Simone Tebet (MDB) tem 6% e Ciro Gomes (PDT, 5%). Se torna importante para o ex-presidente receber parcela dos votos daqueles que declaram brancos, nulos e indecisos, além do comparecimento massivo de todos que o apoiaram durante a trajetória até aqui.

Presidente de 2003 a 2010, LULA, coroa uma volta por cima rara: deixou o Planalto com mais de 80% de aprovação [87%]”, escreve o jornalista Igor Gielow, na Folha de S. Paulo, enfeitando seu texto de divulgação da pesquisa. Ele cita Dilma Rousseff sem necessidade. Depois fala da condenação sofrida por LULA sem explicar ao leitor o elo entre o golpe 2016 e sua prisão como sequência de um plano: “Foi condenado e preso por corrupção, só para ver as sentenças anuladas por questões legais e o seu algoz, Sergio Moro, julgado parcial e fracassar ao tentar ser presidenciável“.

Enfim, a publicação se rende à volta de LULA, ao afirmar que ele enfrenta “um adversário diferente do que o PT se acostumou até 2018, quando Bolsonaro saiu das franjas do baixo clero para a Presidência com um discurso antipolítico e radical de direita. Com alta rejeição, o presidente é o primeiro da era das reeleições a não chegar à frente no dia do primeiro turno, e luta para ir ao segundo“.

O ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva (PT) terminou a campanha do primeiro turno com uma caminhada na Rua Augusta, na região central de São Paulo. O petista percorreu quase 2 km em uma caminhonete.

Siga Urbs Magna no Google Notícias
Comente

Comente

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.