Espanha repercute fake news removida dos perfis de Bolsonaro por relação da vacina contra a Covid com AIDS

26/10/2021 0 Por Redação Urbs Magna
Espanha repercute fake news removida dos perfis de Bolsonaro por relação da vacina contra a Covid com AIDS

O presidente Jair Bolsonaro é destaque em matéria da mídia espanhola Público.es por ter sua live da última quinta-feira removida das plataformas Facebook, Instagram e YouTube | Imagem reprodução


PROGRESSISTAS POR UM BRASIL SOBERANO

“Meias verdades ou falsidades diretas são sempre introduzidas” nas conversas do presidente “para penetrar o público com seu discurso”, afirma o portal Público

O jornal espanhol Público repercutiu a notícia da live do presidente do Brasil, Jair Bolsonaro, em que ele espalha fake news relacionando a vacina para imunização contra a Covid com a AIDS (Síndrome da Imunodeficiência Adquirida). O chefe do executivo acabou tendo o vídeo sobre o assunto removido de suas redes sociais pelo Facebook, Instagram e depois pelo YouTube. A mídia espanhola afirma que “Bolsonaro adquiriu o hábito de todas as quintas-feiras às sete da tarde [sic] de conversar com seus seguidores nas redes sociais” e acrescentou que “entre as mensagens que ele lança, meias verdades ou falsidades diretas são sempre introduzidas para penetrar o público com seu discurso“. 

Tanto o Facebook quanto o Instagram, que estão passando por uma crise de imagem corporativa devido à sua relação com a proliferação de notícias falsas e discurso de ódio, optaram por bloquear a transmissão ao vivo“, escreve a redação do jornal. “O que desencadeou essa decisão foi a tentativa de Bolsonaro de vincular as vacinas COVID-19 à AIDS“, diz o texto.

Depois, o Público também informa que o “YouTube, da multinacional de tecnologia Google, seguiu os passos da empresa de Mark Zuckerberg“.

A matéria acrescenta que Bolsonaro está sendo “acusado pelo Senado” de “crimes contra a humanidade“.

No final da matéria, a mídia transcreve a fala do presidente, associando a segunda dose do imunizante contra a Covid à propensão ao desenvolvimento da doença em menor tempo, dando “visibilidade a uma teoria da conspiração infundada“, conforme publicou:

Só vou dar a notícia. Não vou comentar porque já disse no passado e fui muito criticado”, diz a transcrição da fala de Bolsonaro.

Relatórios oficiais do governo do Reino Unido sugerem que pessoas totalmente vacinadas estão desenvolvendo AIDS 15 dias após a segunda dose“, diz Bolsonaro no vídeo removido das redes.

Leia essa história. Não vou lê-la aqui porque poderia ter problemas com minha transmissão ao vivo“, continua o presidente.

As falsas declarações, que o executivo do Reino Unido já negou, chamaram a atenção dos controles da empresa californiana“, pontua o P[ublico.

Comente