Equipe de Guedes festeja proposta de imposto único de empresários


Grupo de apoiadores de Bolsonaro propôs reforma tributária paralela


A equipe econômica do governo festejou a notícia de que um grupo de empresários defenderá uma reforma tributária paralela que propõe a criação do imposto único no país.

O tributo, de acordo com o Brasil 200, que reúne empresários e lançará a ideia, teria alíquota de 2,5% e incidiria sobre toda a movimentação financeira no país.

A iniciativa, na visão de integrantes do governo, mostraria que a criação da CP (Contribuição Previdenciária), prevista também para incidir sobre todas as transações financeiras, bancárias ou não, deve sofrer pouca rejeição do setor produtivo.

Há pouco tempo, a ideia de um tributo sobre movimentação financeira era bombardeada por alguns setores econômicos.

A ideia é que a CP substitua a contribuição previdenciária que incide sobre a folha de pagamentos das empresas brasileiras.

O ministro Paulo Guedes e os secretários Rogério Marinho e Waldery Rodrigues
O ministro Paulo Guedes e os secretários Rogério Marinho e Waldery Rodrigues – André Coelho/Folhapress
Comente

Comente

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.