Envolvido no assassinato de Marielle Franco acessou perfis de Feghali e Wyllys, diz O Globo

23/01/2020 3 Por Redação Urbs Magna

De acorco com o jornal O Globo, a constatação se deu ao analisar páginas na internet acessadas pelo ex-policial militar Élcio Vieira de Queiroz, após a quebra de sigilo de dados do celular, assim como foi apurado em relação a Ronnie Lessa, apontado como o assassino da parlamentar. Acusado de dirigir carro usado no assassinato de Marielle Franco tem perfil de ódio pela esquerda e também acessou os perfis no Facebook de Jandira Feghali e Jean Wyllys, apurou o Ministério Público do Rio de Janeiro.

Élcio pesquisou os perfis de políticos filiados a partidos de esquerda demonstrando o mesmo interesse do amigo Ronnie Lessa, sargento reformado da PM, e nutrindo o mesmo ódio a nomes ligados a siglas de oposição e movimentos sociais de defesa aos direitos humanos.

Os dois estão presos desde março do ano passado, suspeitos do crime, na Presídio Federal de Porto Velho, em Rondônia, no norte do estado.

As pesquisas de Élcio no Facebook estão citadas nas alegações finais que o MPRJ  entregou no dia 18 de dezembro ao juiz Gustavo Kalil, do 4º Tribunal do Júri da capital, onde tramita o processo de homicídios da vereadora e do motorista.

Em datas anteriores ao crime, ocorrido em 14 de março de 2018, o ex-policial acessou os perfis do ex-deputado federal Jean Wyllys (PSOL-RJ) e da deputada Jandira Feghali, entre outros políticos, mas, de início, não se interessou pela conta de Marielle.

Para os investigadores, isso é um sinal de que o nome da vereadora só entrou na mira dos acusados cerca de 15 dias antes do crime.

Comente