Eduardo Bolsonaro é condenado a indenizar jornalista em R$ 30 mil

21/01/2021 0 Por Redação Urbs Magna

Ofensa de cunho sexual e fake news levaram à punição do deputado, que agora deve o valor à jornalista Patrícia Campos Mello como reparação por danos morais

Ao atacar a repórter, o deputado afirmou:

“É igual a Patrícia Campos Mello. Fez a fake news de 2018, para interferir na eleição presidencial, entre o primeiro e segundo turno, e o que ela ganhou de brinde? Foi morar no Estados Unidos, correspondente, né? Acho que da Folha de S.Paulo, lá nos Estados Unidos. Essa Patrícia Campos Mello, que, vale lembrar, tentou seduzir o Hans River. Não venha me dizer que é só homem que assedia mulher não, mulher assedia homem, tá. Tentando fazer uma insinuação sexual para obter uma vantagem, de entrar na casa do Hans River, ter acesso ao laptop dele e tentar ali, achar alguma coisa contra o Jair Bolsonaro, que não achou”, completou Eduardo.

Patrícia Campos Mello acionou a Justiça após o ataque feito numa live em publicação em rede social.

Luiz Gustavo Esteves, juiz da 11ª Vara Cível de São Paulo, decidiu pela condenação e também determinou o pagamento de custas processuais e honorários advocatícios no valor de 15%, conforme publicação da Folha.

SENTENÇA

“Eduardo Bolsonaro, ocupando cargo tão importante no cenário nacional –sendo o deputado mais votado na história do país, conforme declarado na contestação– e sendo filho do atual presidente da República, por óbvio, deve ter maior cautela nas suas manifestações, o que se espera de todos aqueles com algum senso de responsabilidade para com a nação”, afirmou o juiz.

“Em especial, nesse momento tão sensível pelo qual passamos, com notícias terríveis sendo divulgadas pela imprensa todos os dias, muitas das quais, diga-se de passagem, poderiam ter sido evitadas, com o mínimo de prudência das figuras públicas, sem divulgação, aqui sim, de fake news”.​

“No mínimo, foi incauto o requerido ao não ressaltar tal fato, o que reforça sua intenção de macular a imagem da autora”, diz o magistrado.

“A indenização no valor de R$ 30 mil é uma quantia que cumpre a dupla finalidade “de punir pelo ato ilícito cometido e, de outro lado, a de reparar a vítima pel​o sofrimento moral experimentado”

Comente com o Face ou utilize a outra seção abaixo. Os comentários são de responsabilidade do autor e não têm vínculo com a publicação. Mantenha um bom nível de discussão, do contrário reservamo-nos o direito de banir seus perfis.