Donos do Serum Institute of India prometem metade do fornecimento mundial de vacinas em 2021

03/03/2021 0 Por Redação Urbs Magna

Adam Poonawalla, presidente da fabricante de medicamentos imunobiológicos, e sua esposa Natasha, diretora executiva, estão comprometidos em adicionar ao mercado 1,5 bilhão de doses dos imunizantes contra a covid-19 além de mais 1,3 a 1,5 bilhão de outras doses contra doenças que vão do sarampo à tuberculose

O casal mais extravagante e poderoso da Índia, Adam Poonawalla e sua esposa Natasha, presidente e diretora que comandam a mais noticiada fabricante de medicamentos imunobiológicos dos últimos meses, a Serum Institute of India (SII), prometem dominar o mercado de vacinas até o fim do ano de 2021 com nada menos que metade do fornecimento mundial.

A SII parece ser a única empresa aparentemente capaz de aumentar a produção rapidamente e exportar doses sem gerar polêmica, publicou o The Economist nesta terça-feira (2) citando que a Europa tem uma campanha de vacinação contra a covid-19 com falhas de produção e a América esbarra em obstáculos para distribuição, além de uma disputa geopolítica pelo fornecimento em todos os lugares.

Em 23 de fevereiro, a SII despachou a primeira remessa de 70 milhões de doses da vacina Oxford-AstraZeneca para países pobres através do consórcio internacional de distribuição denominado Covax Facility, que é uma iniciativa da OMS (Organização Mundial de Saúde) para garantir equidade de acesso ao imunizante. Na segunda-feira (1), o Canadá disse que adquirirá 500.000 doses da empresa.

O Brasil está entre 5 países que mais receberão vacinas do programa e terá 10,6 milhões de doses até o final do primeiro semestre deste ano. O consórcio tem no topo da lista o Paquistão, que receberá 14,6 milhões de doses. A Nigéria terá 13,7 milhões. A Indonésia, 11,7 milhões e Bangladesh, 10,9 milhões, conforme divulgou o portal IG.

As informações constam em documento divulgado pela OMS nessa terça-feira (2), onde se estabelece uma rodada de distribuição para 142 países que aderiram ao sistema, afirmou o portal Poder360. A adesão do país ao Covax Facility foi viabilizada com a sanção da Lei 14.121/21, na noite de segunda-feira (1) pelo presidente Jair Bolsonaro.

O presidente da SII pretende aumentar a produção mensal da vacina Oxford até abril, segundo estivativa da OMS que diz que até o final deste ano serão disponibilizadas 2 bilhões do imunizante contra o coronavírus.

Poonawalla prevê que a produção de sua empresa será responsável por até 50% do fornecimento mundial. As doses da SII são mais baratas e não precisam ser armazenadas em temperaturas ultrabaixas, afirmou o The Economist. 

Comente com o Face ou utilize a outra seção abaixo. Os comentários são de responsabilidade do autor e não têm vínculo com a publicação. Mantenha um bom nível de discussão, do contrário reservamo-nos o direito de banir seus perfis.