Diretor-geral da PRF vira réu e pode ser afastado por pedir votos para o derrrotado Bolsonaro

Para o MPF, a conduta de Silvinei Vasques contribuiu para “o confronto instaurado durante o deslocamento de eleitores no dia do segundo turno das eleições e após divulgação do resultado”.

O diretor-geral da PRF (Polícia Rodoviária Federal) foi transformado em réu pela Justiça Federal do Rio de Janeiro por improbidade administrativa, após o MPF (Ministério Público Federal) protocolar pedido sob alegação de que ele fez uso indevido do cargo ao pedir votos para o ainda presidente, o derrotado para Lula na eleição de outubro, Jair Bolsonaro.

O juiz José Arthur Diniz Borges deu prazo de 30 dias para que Silvinei se manifeste e depois decidirá sobre possível punição ao bolsonarista, que pode ser afastado do cargo por 90 dias. O MPF alegou que o diretor usou a PRF para fazer uma “verdadeira propaganda político-partidária”.

Determino a expedição de mandado de citação da parte ré para oferecimento de defesa, no prazo de 30 (trinta) dias, nos termos do art. 17, § 7º, da Lei nº 8.429/1992. Após, voltem-me conclusos, inclusive para apreciação da medida cautelar requerida”, diz trecho da sentença proferida por Borges em 18 de novembro, de acordo com transcrição feita pelo portal de notícias Metrópoles. Ele se baseou no texto do MPF, a seguir:

A vinculação constante de mensagens e falas em eventos oficiais, sempre associando a própria pessoa do requerido à imagem da instituição PRF e concomitantemente à imagem do chefe do Poder Executivo federal e candidato à reeleição para o mesmo cargo, denotam a intenção clara de promover, ainda que por subterfúgios ou mal disfarçadas sobreposição de imagens, verdadeira propaganda político-partidária e promoção pessoal de autoridade com fins eleitorais”, assinala trecho do documento do órgão.

O portal lembra que, nas redes sociais, à véspera do segundo turno das eleições, Silvinei Vasques de fato pediu votos a Bolsonaro, mas apagou postagem feita após repercussão negativa.

Para o MPF, a conduta do diretor da PRF contribuiu para “o confronto instaurado durante o deslocamento de eleitores no dia do segundo turno das eleições e após divulgação do resultado”.

Siga Urbs Magna no Google Notícias
Comente

1 comentário em “Diretor-geral da PRF vira réu e pode ser afastado por pedir votos para o derrrotado Bolsonaro”

  1. Jefferson Filomena

    Lula poderia ter milhões de votos a mais, pois a popularidade dele é incontestável. Sujeitos mal caráter como esse diretor da PRF e outros puxa-sacos do Bolsonaro, foram os responsáveis por essa onda de terror, que assola o país.

Comente

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.