Desesperado com derrota em 2022, Bolsonaro insiste em voto impresso e diz que Aécio ganhou em 2014

08/05/2021 0 Por Redação Urbs Magna

As falas indicam que o presidente pode imitar Donald Trump e o PSDB rechaça os argumentos de fraude: “Reconhecemos todos os resultados eleitorais e a segurança das urnas eletrônicas”, disse o presidente do partido, Bruno Araújo

O presidente Jair Bolsonaro (sem partido) está radicalizando o discurso sobre a possibilidade de fraude nas eleições sem o voto impresso. Ele já chegou a falar para interlocutores que ganhou as eleições no primeiro turno em 2018 e que Aécio Neves venceu Dilma Rousseff em 2014.

As falas têm impressionado pela indicação de que Bolsonaro, em caso de derrota em 2022, pode imitar Donald Trump: o norte-americano não reconheceu a vitória de Joe Biden para a Presidência dos EUA e conturbou o país. O PSDB rechaça a possibilidade de fraude em 2014. “Reconhecemos todos os resultados eleitorais e a segurança das urnas eletrônicas”, diz o presidente do partido, Bruno Araújo, de acordo com publicação de Mônica Bergamo, na Folha. Naquele ano, o PSDB pediu auditoria das urnas. “Ela foi feita. E o resultado foi reconhecido”, diz ele.

“Não há a menor contestação. Participamos da sessão do Congresso Nacional que deu posse a ela sem qualquer protesto”, afirma Araújo. Várias lideranças do partido reconheceram posteriormente que foi um equívoco inclusive pedir a auditoria das urnas. O próprio Aécio Neves disse a Joesley Batista, da JBS, em conversa gravada pelo empresário, que só moveu a ação no TSE (Tribunal Superior Eleitoral) para “encher o saco”.


Siga no Telegram

Comente