Deputados do PSOL pedem afastamento de Mendonça por relatório antifascista

15/08/2020 0 Por Redação Urbs Magna

A bancada do PSOL na Câmara dos Deputados encaminhou à PGR (Procuradoria-Geral da República) um pedido de afastamento imediato do ministro da Justiça e Segurança Pública, André Mendonça, pela elaboração sigilosa de um relatório sobre a atuação de 579 servidores públicos, a maioria policiais, mas com alguns professores, que a pasta identificou e classificou como antifascistas contra Bolsonaro.

No texto do documento, os deputados justificam o pedido alegando que o ministro deve ser investigado pela prática de crime de responsabilidade e o afastamento seria uma forma de evitar obstrução da justiça na apuração, informou Mônica Bergamo, na coluna Painel Folha desta sexta (14).

Freixo já havia alertado, na semana passada, quinta (6), que iniciaria a ação contra Mendonça, quando o ministro afirmou que não investiga opositores do governo, mas disse que não pode compartilhar informações de inteligência.

O deputado disse, na ocasião, que é fundamental saber os nomes que estão no dossiê e que tipo de investigação ilegal foi feita.

“O ministro tem que prestar esclarecimento. Estamos avaliando o melhor caminho para pedir o afastamento”, declarou.


Marcelo Freixo
Deputado Federal (PSOL-RJ)

Na quarta passada (12) O STF (Supremo Tribunal Federal) marcou para a próxima quarta (19) o julgamento de uma ação, movida pela Rede Sustentabilidade, que questiona a produção do dossiê. A relatora ministra Cármen Lúcia liberou a ação para julgamento e o presidente da Corte, ministro Dias Toffoli incluiu o processo na pauta de julgamentos na data mencionada.

Pedimos imediata suspensão da produção e disseminação de conhecimentos e informações de inteligência estatal produzidos sobre integrantes do ‘movimento antifascismo’ e professores universitários“, diz a ação da Rede

André Mendonça admitiu que a Seopi (Secretaria de Operações Integradas) produziu um relatório de inteligência sobre o grupo Policiais Antifascismo e a informação foi confirmada por quatro parlamentares, após sessão virtual da CCAI (Comissão Mista de Controle das Atividades de Inteligência) do Congresso.

A existência do dossiê veio a público através de reportagem do colunista Rubens Valente, do UOL, em fins de julho.

Comente com o Face ou utilize a outra seção abaixo. Os comentários são de responsabilidade do autor e não têm vínculo com a publicação. Mantenha um bom nível de discussão, do contrário reservamo-nos o direito de banir seus perfis.